Comunicação

Collapse
No announcement yet.

Estrias: como e quando combatê-las

Collapse
X
Collapse

  • Estrias: como e quando combatê-las

    estrias tratamento

    As estrias estão ligadas a várias causas, entre as quais se encontra a gravidez, sendo o seu aparecimento o resultado da ruptura das fibras elásticas que formam o tecido conjuntivo da pele. Uma vez que não existem tratamentos anti-estrias 100% eficazes, a melhor forma de lutar contra este problema é de facto prevenir ou reduzir o seu aparecimento.


    Porque surgem as estrias

    A gravidez é uma das situações que mais alterações produz ao nível da pele, ou seja, alterações de tipo hormonal, nomeadamente as provocadas pelas elevadas taxas de estrógeneos, de progesterona e de androgéneos. Estas hormonas estimulam a produção de melanina e de aldosterona as quais provocam alterações na pele que, apesar de serem um pouco inestéticas, não representam risco para a saúde do bebé.

    As estrias podem surgir desde o início da gravidez ou ainda antes desta (devido a processos naturais do organismo, como a ingestão de certos tipos de medicamentos, excesso de exercíco de musculação, predisposição genética, falta de hidratação da pele, aumento de peso repentino, etc.), mas são mais frequentes e visíveis no final da gravidez devido ao aumento de peso do bebé que provoca, por sua vez, uma maior distensão da pele. Podem localizar-se nas coxas, no abdómen, nas ancas e nos seios e afectam cerca de metade das grávidas. Durante este período, a distensão da pele gera um processo inflamatório com um aspecto de pequenas depressões rosadas, mas depois do parto, perdem a cor tornando-se prateadas e menos notórias.

    As estrias são o resultado da ruptura das fibras elásticas, isto é, do colagénio e da elastina que formam o tecido conjuntivo da pele. Estas proteínas, em conjunto permitem que a pele se distenda facilmente, conferindo-lhe a faculdade de se dobrar e ceder, acompanhando os movimentos do corpo. Quando a pele tem um baixo teor destas fibras de sustentação é muito comum o aparecimento das estrias. Por outro lado e apesar das estrias estarem directamente ligadas ao teor de colagénio e elastina da pele, estão também relacionadas com predisposições familiares pelo que, nestes casos, o seu aparecimento é quase inevitável.


    Posso prevenir o seu aparecimento?

    Infelizmente não existem cremes nem tratamentos verdadeiramente anti-estrias. A melhor forma de lutar contra este problema que afecta tantas mulheres é, de facto, prevenir ou reduzir o seu aparecimento. O modo de o conseguir é procurar ter uma alimentação rica em proteínas, beber muita água (cerca de 2 litros por dia), não aumentar exagerada ou bruscamente de peso, hidratar e nutrir diariamente a pele com um creme que melhore a sua elasticidade, ou seja, cremes à base de lactato de amónio, ureia, óleos vegetais e vitaminas. Estes cremes reforçam as fibras de sustentação e a qualidade da pele, sendo certo que as fibras de uma pele bem hidratada resistem melhor às estrias.


    Como e quando se podem combater?

    Quando já é tarde demais para prevenir as estrias e a quantidade ou o aspecto das mesmas o justifiquem, a única solução passará por erradicar o problema através de um bom tratamento. A maior parte dos Intitutos de Beleza oferecem uma variedade de tratamentos que surtirão o efeito desejado se forem adequados ao tipo de estria que a mulher apresenta. Por isso, antes de optar por um ou outro tipo de tratamento procure informar-se junto de um especialista sobre o tipo de estrias que tem, para que possa beneficiar completamente do tratamento que lhe for aplicado.

    Basicamente podem indicar-se quatro tipos de estrias:


    As finas e avermelhadas - podem ser tratadas de duas formas: uma com ácido retinóico em que a mulher usa diariamente um creme com alta concentração desta substância sobre a linha da estria. Este creme estimula a renovação das células da pele e a formação de fibras de sustentação. O tratamento dura cerca de quatro a sete meses; é proibida a exposição ao sol, uma vez que podem surgir manchas e não é aconselhado para grávidas nem para mulheres que estejam no período de amamentação.

    Este tipo de estria também pode ser tratado com o recurso à microdermoabrasão. Este tratamento requer a aplicação de pomada anestésica e funciona com um aparelho de lixas de cristais de óxido de alumínio ou de diamante, provocando uma esfoliação superficial na linha da estria, o que dá origem à formação de novo tecido e de novas fibras de sustentação. É feito entre dez a vinte sessões, uma por semana ou uma em cada quinze dias, conforme os casos. Não se deve usar roupa justa nem apanhar sol durante o tratamento.


    estrias grossas

    As grossas e avermelhadas
    - são tratadas através da mesoterapia, ou seja: espalha-se a pomada anestética no local a tratar e, com uma agulha, o especialista injecta na linha da estria medicamentos que reorganizam as fibras, estimulam a formação de colagénio e melhoram a circulação sanguínea local. O tratamento demora entre oito a catorze sessões, com um intervalo de dez dias entre cada uma. É igualmente proibida a exposição ao sol.


    As finas e peroladas - também se podem tratar através da mesoterapia e da forma descrita anteriormente ou então com o recurso ao peeling. Neste último caso pode aplicar-se uma alta concentração de ácido retinóico sobre a linha da estria, fazendo com que esta substância remova as células cutâneas mais profundas, o que activa a produção de fibras de sustentação, torna a estria mais lisa e diminui a sua largura, o que pode ser feito em quatro a seis aplicações, uma vez por semana.

    De outro modo, também pode ser usado o fenol e o ácido tricloroacético (ATA) que é aplicado apenas numa sessão. Ambos são substâncias mais agressivas. O fenol não deve ser administrado a pessoas com problemas cardíacos e renais e deve ser usado apenas em pequenas áreas e até três sessões. Em nenhum destes tratamentos é aconselhável a exposição ao sol.


    As grossas e peroladas - podem ser tratadas com laser de CO2 em regiões com pouca quantidade de estrias e após a utilização de anestesia local. Aplicado sobre cada uma delas, o laser remove a camada cutânea superficial e atinge a derme, camada intermédia. Este tratamento provoca a formação de fibras de colagéneo e a retracção da pele que se torna mais estreita e lisa. É efectuado numa ou duas sessões sendo que a segunda apenas pode ser realizada cerca de três meses depois da primeira. A pele refaz-se numa semana e em dois meses aparece o resultado definitivo. Neste caso também não é aconselhável a exposição ao sol.
      Os comentários estão desactivados.

    Artigos mais Recentes

    Collapse

    • A roupa pré-mamã
      pbadmin
      A roupa pré-mamã é desenhada para mulheres grávidas, razão pela qual, mesmo que escolha dois ou três números acima do seu tamanho normal a roupa habitual não lhe assentará bem, uma vez que não foi desenhada tendo em conta as alterações por que o corpo...
      06-03-2019, 13:26
    • A cesariana
      pbadmin
      Hoje em dia é cada vez maior o número de bebés que nascem por cesariana. O bebé sai pelo abdómen, através de uma incisão na parede abdominal (laparotomia) e na parede do útero (histerotomia).


      Quando é que é necessário fazer uma cesariana?...
      06-03-2019, 13:20
    • Contradições da gravidez: euforia e desespero
      pbadmin
      A gravidez representa uma fase de grandes alterações quer físicas quer emocionais, na vida de todas as mulheres que passam por esta experiência. Esta fase que dura, em média, 38 a 40 semanas implica viver intensamente sentimentos contraditórios de alegria...
      06-03-2019, 13:11
    • Pais pela primeira vez: a gravidez
      pbadmin


      Ao engravidar pela primeira vez a futura mãe vive com grande intensidade as alterações que, a partir desse momento, toda a sua vida sofrerá. Terá curiosidade sobre o desenvolvimento da gravidez, sofrerá com os enjoos matinais, terá muitas...
      06-03-2019, 13:03
    • Falso trabalho de parto
      pbadmin
      O útero da mulher contrai-se durante a gravidez, principalmente nas últimas semanas. Este tipo de contracções podem ser facilmente confundidas com as contracções do parto que, na verdade, ainda não chegaram.

      O que é o falso trabalho de parto?...
      06-03-2019, 12:30
    • Perdas de sangue durante a gravidez
      pbadmin


      Por mais pequeno que seja, qualquer corrimento de sangue durante a gravidez pode ser assustador, sobretudo se for a primeira gravidez. Para isto podem contribuir inumeros factores mas, em alguns casos, o corrimento sanguíneo não afecta...
      06-03-2019, 12:25
    Working...
    X