Comunicação

Collapse
No announcement yet.

Acessórios para a alimentação a biberão

Collapse
X
Collapse

  • Acessórios para a alimentação a biberão

    Com uma vida mais activa do que no passado, os pais têm hoje ao seu dispôr um variado conjunto de acessórios que garantem não só uma alimentação a biberão mais saudável para o seu bebé, como também facilitam enormemente a vida dos atarefados papás.

    Biberões e termo-biberões

    Se alimentar o seu filho apenas com o biberão, precisará de cerca de 6 a 8 biberões. A maior parte dos biberões são vendidos com as tetinas, embora estas possam também ser vendidas separadamente.

    Ficará surpreendida com a quantidade e variedade de modelos de biberão hoje em dia disponíveis:
    • Os biberões normais podem ser utilizados com vários tipos de tetinas, têm uma capacidade de 60 ml, 125 ml e 250 ml e podem ser vendidos por conjuntos, enquanto que os biberões com uma abertura larga são mais fáceis de encher e de limpar. São apenas de 125 ml e 250 ml e podem ser adaptados ao primeiro copo do bebé, se for comprado com o conjunto.
    • Grande parte dos biberões são concebidos para evitar que o bebé engula ar e, consequentemente, fique com dores de barriga, provocadas por cólicas.
    • Os biberões com pega são formulados para as crianças maiores os segurarem sozinhas, tendo sempre o cuidado de nunca as deixar sós enquanto comem ou bebem.Existem também os biberões ergonómicos que facilitam que o bebé os agarre.
    • Pode escolher também entre plástico e vidro. Os biberões de plástico são inquebráveis, mas deterioram-se com mais facilidade, por isso tem de os substituir de vez em quando. Os biberões de vidro não apresentam este inconveniente, se não se partirem e podem conservar melhor os nutrientes do leite materno.
    • Pode comprar também conjuntos de biberões descartáveis, muito úteis quando se viaja e, embora não sendo descartáveis, também estão disponíveis no mercado os biberões de passeio. Acima de tudo os biberões devem ser práticos e funcionais, devendo ter graduação.
    • Existem sacos especiais destinados a transportar o biberão com água à temperatura desejada e o leite em pó num doseador, feito de plástico inquebrável, que liberta a quantidade de pó necessária para preparar o biberão.
    • Para além disto tudo, existe ainda o chamado termobiberão. É indispensável quando se quer ter sempre a papa pronta. Com rosca regula-fluxo e tetina anti-soluço, podem ser utilizados como copos e biberões normais, sem auxílio de outros acessórios. O leite é colocado já quente no interior do recipiente que serve de termos.


    Tetinas

    Normalmente são vendidas com o biberão, mas precisam mais frequentemente de ser substituídas. Existem variados tipos de tetinas, adequadas às idades e aos gostos do seu bebé.

    De acordo com o material:
    • Pode escolhê-las em latex, por serem mais macias e flexíveis, mas não duram muito tempo e não existem para biberões com abertura larga.
    • Pode optar pelo silicone por serem mais firmes, manterem a sua forma durante mais tempo e serem fáceis de limpar, ou,
    • Pode optar por tetinas de borracha.


    Quanto à forma:
    • Existem as tetinas ortodônticas, isto é assemelham-se ao mamilo e imitam a acção de sucção da amamentação.
    • Tetinas anti-cólicas que limitam a ingestão de ar pelo bebé, o que facilita a mamada e reduz a possibilidade de lhe causar cólicas.
    • Tetinas ventiladas que também impedem a ingestão de ar pelo bebé e são desenhadas de modo a não entupirem durante a refeição, assegurando ao bebé sempre o mesmo fluxo de leite.


    Pode também escolher a tetina tendo em conta a quantidade de fluxo de leite pretendida:
    • Para recém nascidos ou nos primeiros dias o fluxo deve ser lento.
    • Fluxo médio para bebés que mamam depressa.
    • Muito fluxo para bebés mais crescidos e que mamam depressa.
    • Fluxo variável, permitindo que a acção de sucção feita pelo bebé, controle a quantidade de fluxo e, por isso, é aconselhável para todas as idades.


    Porque não pode saber qual o tipo de tetina que o seu bebé vai preferir, compre uma de cada e experimente. Logo se aperceberá da sua preferência, podendo agir em conformidade.

    Deve verificar com alguma frequência o estado das tetinas. Se lhe parecerem desgastadas, descoradas ou a rasgar-se, deite-as fora.

    A esterilização

    Toda a higiene é pouca quando se trata das coisas que vão estar em contacto com o bebé, por forma a evitar que os germes patogénicos possam comprometer o seu desenvolvimento.

    Os biberões e todo o material acessório devem ser esterilizados após cada utilização. Por isso, ter o equipamento necessário para desinfectar e eliminar as bactérias é muito mais prático e seguro.

    Existem vários tipos de aparelhos de esterilização. Todos eles esterilizam entre dois a dez biberões, mais os acessórios:
    • Esterilizador eléctrico. É uma unidade independente e autónoma, que se liga à electricidade e actua produzindo vapor. Todos os objectos a esterilizar, depois de previamente lavados, são colocados lá dentro com determinada quantidade de água e sem qualquer tipo de produto químico. Demora cerca de nove minutos a esterilizar e os objectos permanecem esterilizados durante algumas horas, desde que a tampa do esterilizador não seja levantada.

      São feitos com material plástico e com o fundo em metal, estão disponíveis em vários modelos, com capacidade para dois, três ou seis biberões e respectivos acessórios. Após a esterilização apagam-se automaticamente e estão equipados com uma luz que indica que o aparelho está em funcionamento.
    • Esterilizador de forno microondas. Funciona do mesmo modo que um esterilizador eléctrico, excepto no facto de ter de ir ao forno microondas cerca de dez minutos. Os objectos mantêm-se esterilizados durante cerca de duas a três horas, desde que a tampa não seja levantada. É prático e mais barato que o esterilizador eléctrico. Deve, no entanto, ter o cuidado de se certificar de que o esterilizador cabe no seu forno microondas e de que todos os objectos que lá meter dentro podem ir ao forno microondas.
    • Esterilizador de água fria. Trata-se de um recipiente com uma pega e uma tampa. Mistura-se uma pastilha ou líquido desinfectante com a água fria e colocam-se os objectos lá dentro. Demora cerca de trinta minutos a desinfectar e depois todos os objectos têm de ser enxaguados com água fervida, antes de serem usados. Esta solução permanece activa durante cerca de vinte e quatro horas e os objectos permanecem desinfectados desde que não sejam tocados.

      Este tipo de esterilizador é normalmente vendido com biberões, pastilhas desinfectantes e uma escova para lavar biberões.
    • Esterilizador de fervura. Estes aparelhos que funcionam por fervura, são feitos de alumínio envernizado. Têm a base lisa e podem ser utilizados sobre todas as fontes de calor, mesmo sobre as eléctricas. Todos os modelos estão equipados com um cesto para colocar os biberões, virados para baixo e os respectivos acessórios.
    • Sacos de esterilização descartáveis. São úteis para quando viaja. Funcionam enchendo o saco de água e juntando-lhe uma pastilha desinfectante, de seguida colocam-se os objectos a esterilizar e pendura-se o saco.


    Outros acessórios

    Os acessórios modernos tornam fácil organizar a limpeza e a arrumação dos biberões:
    • É aconselhável que quando sair de casa e tiver de levar o biberão ou quando o quiser guardar já preparado no frigorífico, não se esqueça de lhe colocar o disco higiénico autobloqueador para o fechar hermeticamente.
    • Outro acessório indispensável é a rosca regula-fluxo. Adapta-se aos ritmos de sucção da criança e regula o fluxo de leite através de um movimento giratório. O copo salva gotas é também muito importante, especialmente se transporta o biberão na sua carteira, sem o disco higiénico autobloqueador e com a tetina virada ao contrário, evitando assim perdas de líquido.
    • O salva-biberão foi concebido para prender o biberão à cadeira do bebé, ao carrinho de passeio, etc, evitando que a criança o atire ou deixe cair para o chão. Este acessório só pode ser utilizado nos biberões de plástico, uma vez que os biberões de vidro não resistiriam a tal tratamento. O porta-biberão é muito útil para transportar o biberão, cheio ou vazio, e, para o ter sempre à mão.
    • O funil para leite é indispensável para facilitar a introdução do leite no biberão, em especial o leite em pó, evitando que se perca durante o transvase, bem como para evitar sujar os objectos com o leite em pó.
    • O doseador para leite em pó. É feito de plástico inquebrável e é muito prático porque pode transportar três doses já preparadas.
    • O escovilhão em nylon e a pinça para biberões. Aquele é ideal para passar por dentro dos biberões e limpá-los, antes de os colocar no esterilizador, enquanto que a pinça é concebida para pegar nos biberões quando estão demasiado quentes e para meter e tirar os biberões do esterilizador e passá-los por água bem quente, quando houver necessidade disso.
    • O escorredor de biberões evita a formação de vapor e escorre as gotas de água. Tem capacidade para cerca de oito biberões e acessórios. É constituído por hastes que estão fixas na base, as quais seguram os biberões, virados ao contrário. A caixa porta-biberões é ideal para colocar os biberões já preparados no quarto, na cozinha ou no frigorífico. Ficam arrumados e prontos para usar.


    Aquecedores eléctricos de biberões e contentores isotérmicos para a papa
    • Para aquecer o biberão o método mais prático é o aquecedor de biberões que, em poucos minutos, deixa o biberão à temperatura certa. Há modelos com termóstato, que se apaga quando a papa ou leite atingem a temperatura aconselhável, e, modelos sem termóstato.

      Este aparelho permite regular o aquecimento do mínimo ao máximo e tem uma luzinha que indica se está ou não ligado São também muito úteis para aquecer os alimentos homogeneizados, no interior dos seus próprios recipientes, uma vez que alguns aquecedores dispõem de um acessório à parte para segurar o recipiente e outros têm uma pinça para o mesmo efeito. Para além de todas estas qualidades o aquecedor eléctrico dispõe ainda de uma ficha adequada para que se possa também utilizá-lo no automóvel.
    • Todavia, existem mini aquecedores de biberões, especialmente concebidos para o automóvel. São bastante leves e ocupam muito pouco espaço. Fixam-se ao tablier através de um aro e têm um indicador luminoso que acende quando o adaptador é ligado ao isqueiro, sendo compatível com todos os tipos de biberões.
    • O contentor isotérmico. Funciona como um porta papa isotérmico com interior em vidro termoresistente e dupla marmita. Tem capacidade para duas refeições e a embalagem inclui uma colher flexível.


    O leite para o bebé

    O leite para bebé é, geralmente, comprado em pó e depois utilizado à medida que se for precisando e de acordo com as instruções do fabricante. Também pode ser comprado já feito, pronto a beber, mas esta é uma solução dispendiosa e talvez mais apropriada para quando se viaja.

    Existem basicamente dois tipos de leite em pó: um concebido para bebés recém nascidos e durante os primeiros meses de vida, para ser digerido mais fácil e rapidamente pelo organismo do bebé, e o outro tipo, que é aconselhável para bebés maiores e com mais apetite, que demora mais tempo a ser digerido pelo organismo. Todavia o seu médico indicar-lhe-á como proceder e quando deverá mudar de leite em pó.

    A partir dos seis meses o bebé começa a comer alguns alimentos sólidos. Todavia necessita sempre de beber muito leite, que deve passar a ser mais forte que o primeiro leite em pó, mas não pode ser tão forte como o leite de vaca, que é apenas recomendado para bebés a partir de um ano de idade.

    Trata-se do leite de transição, com uma composição mais próxima do leite de vaca. Deve ser utilizado a partir do início da diversificação alimentar, em substituição dos leites para lactentes, na impossibilidade da prática do aleitamento materno. Os leites de transição têm um teor proteico e de ferro mais elevados, essenciais ao aumento dos tecidos musculares e do volume sanguíneo do organismo do bebé em rápido crescimento.

    Deve dar preferência aos leites de transição sem sacarose - o que facilita a diversificação alimentar e evita o aparecimento de cáries -, os que privilegiem uma relação equilibrada de ácidos gordos polinsaturados essenciais, os suplementados em vitaminas e os de reduzido teor em sódio.
      Os comentários estão desactivados.

    Artigos Recentes

    Collapse

    • Incontinência Urinária
      por TENA
      Sabia que a gravidez e o parto natural são as principais causas de incontinência urinária feminina?

      Esta semana é dedicada à sensibilização para o tema, com o seu assinalar específico a 14 de março, um pouco por todo o mundo. Por aqui, a...
      12-03-2012, 13:27
    • Crianças, Verão e... SOS Escaldão!
      por admin
      O Verão está a chegar e, com ele, os grandes dias de Sol e praia, actividades ao ar livre e muita liberdade... Ou seja, é tempo de redobrar os cuidados com as crianças!
      Acabam as preocupações inerentes ao Inverno e à época escolar, começam out...
      10-06-2011, 09:09
    • Assadura da fralda: Como tratar as assaduras do bebé?
      por admin
      Uma das lesões mais comuns nos bebés e crianças pequenas é a assadura ou dermatite da fralda. (Saiba como prevenir e tratar a assadura do bebé.


      Quais os sintomas? A assadura consiste numa irritação na pele causada pelo contacto com a...
      17-04-2011, 19:56
    • Apneia do sono da criança
      por Equipa Editorial PinkBlue


      Todo o sono, na criança como no adulto, é normalmente entrecortado por períodos em que a respiração pára. Chamam-se a esses períodos, de apneia. É uma situação perfeitamente normal, quando não dura mais de 15 segundos por episódio. Por...
      05-02-2007, 01:00
    • Icterícia neonatal
      por Equipa Editorial PinkBlue
      Icterícia é uma situação habitual no recém-nascido e normalmente não é motivo de preocupação. A palavra icterícia provém do grego ikteros, através do latim icteritia, vocábulo utilizado para designar o tom amarelado da “branca do olho” e da pele de muitos...
      05-05-2006, 00:00
    • Cuidados com o recém-nascido a realizar fototerapia
      por Equipa Editorial PinkBlue


      A icterícia nos recém-nascidos é muito comum. Na maioria dos casos é uma situação normal, inocente, por um curto período de tempo.

      Quando o tratamento é necessário por bilirrubina elevada no sangue, a fototerapia é segura e...
      05-05-2006, 00:00
    Working...
    X