Comunicação

Collapse
No announcement yet.

A pele do bebé

Collapse
X
Collapse

  • A pele do bebé

    A pele do bebé é extremamente delicada e sofre muitas alterações - erupções, manchas, etc -, sobretudo nas primeiras semanas de vida. Algumas não são importantes e desaparecem sem tratamento, mas outras precisam de cuidados.
    Click image for larger version

Name:	89940029-a-pele.jpg
Views:	1
Size:	2.4 KB
ID:	3534410
    Eczema atópico

    Um eczema é sempre uma inflamação da pele que apresenta duas características principais: a pele do bebé fica quente e avermelhada, porque através dela circula maior quantidade de sangue do que em condições normais e, apresenta um aumento de tamanho, parecendo elevada. Nestas condições a pele, em vez de proteger o organismo, arde, pica ou dói, causando grande mal-estar à criança.

    O eczema atópico geralmente identifica-se pelo ardor que provoca, o que obriga a criança a coçar-se sem parar. Geralmente este eczema afecta a pele das superfícies internas dos cotovelos e joelhos, as bochechas, a testa e o couro cabeludo e, algumas vezes, estas lesões curam-se para voltarem a piorar ao fim de alguns dias.

    Pode surgir em qualquer idade, mas é extremamente comum entre os dois e os seis meses de idade e resolve-se, em cinquenta por cento dos casos, por volta dos dois ou três anos de idade.

    As crianças mais atreitas a este tipo de eczema têm um tipo de pele que reage facilmente aos traumatismos, isto é, a simples passagem das unhas pela pele é suficiente para deixar marcas vermelhas. A pele desenvolve rapidamente as manifestações próprias do eczema, ou seja, o ardor, coloração avermelhada, elevação das zonas afectadas, pequenas ampolas, presença de uma pequena quantidade de líquido e, quando a lesão já se verifica há alguns dias, dá-se a formação de pequenas crostas em forma de escamas.

    Inicialmente as lesões têm margens pouco definidas, mas com o passar do tempo, podem engrossar fazendo com que apareça um limite claro entre a zona saudável e a zona doente.

    O melhor método para tratar este tipo de eczema é a aplicação de corticóides locais, de compressas húmidas e de anti-histamínicos e manter um adequado grau de hidratação da pele, no entanto só os deverá usar após conselho médico, uma vez que o uso prolongado destes medicamentos pode atrofiar a pele.

    Eczema Seborreico

    O eczema seborreico é também muito frequente na infância embora, em muito menor grau que o eczema atópico, e atribui-se a uma desregulação das glândulas sebáceas da pele. Por este motivo aparece nas zonas onde existem mais glândulas sebáceas: face, tórax e pregas cutâneas.

    Este eczema é difícil de distinguir do eczema atópico, na medida em que também apresenta placas vermelhas. A solução para este problema passa também pela aplicação de corticóides locais, sempre por conselho médico.

    Eczema de Contacto

    Chama-se assim porque se dá uma erupção cutânea quando determinadas substâncias entram em contacto com a pele. São produtos químicos ou misturas de metais que, em contacto com a pele, exercem uma irritação local muito forte, produzindo vermelhidão, ardor, exsudação e crostas.

    Uma vez identificada e eliminada a causa deste tipo de eczema, o mesmo cura-se totalmente. Enquanto isso não acontece, o tratamento consiste em usar corticóides locais, aconselhados pelo médico.

    Dermite das fraldas

    É o nome que se dá às pequenas borbulhas ou às erupções que se produzem nas zonas cobertas pelas fraldas, como consequência de uma reacção da pele ao contacto com a urina e as fezes. A ureia, por acção de certas bactérias, transforma-se em amoníaco que é o responsável pela irritação.

    É normal que este tipo de dermite coincida com o início da dentição ou com um problema intestinal. Melhora em três ou quatro dias, mas podem tomar-se medidas para evitar o seu aparecimento, tais como:
    • Mudar a fralda imediatamente depois de cada dejecção.
    • Mudar a fralda frequentemente, mesmo que só esteja molhada com urina.
    • Manter o rabinho do bebé ao ar o máximo de tempo possível.
    • Não colocar a fralda muito apertada e,
    • Utilizar um creme uma loção específica para combater a irritação. Para este tipo de lesão poderá não ter de recorrer ao médico, a menos que se agrave. Basta utilizar produtos adequados à higiene do bebé quando muda as fraldas.


    Crosta Láctea

    O couro cabeludo de alguns bebés pode apresentar uma descamação esbranquiçada ou amarelada, chamada crosta láctea, que pode cair ao fim de duas ou três semanas, mas que por vezes persiste.

    Para tratar a crosta láctea deve passar, na zona afectada, um algodão embebido em óleo de amêndoas doces ou de lanolina ou então vaselina, meia hora antes do banho, esperar que amoleça e depois tirar as crostas devagarinho e com cuidado e, finalmente, lavar a cabeça ao bebé.

    Se for difícil tirar a crosta não é aconselhável que lave a cabeça do bebé todos os dias, duas lavagens por semana serão o suficiente, uma vez que, a cada lavagem, as crostas se vão, pouco a pouco desprendendo. Se o problema persistir ou se agravar deverá consultar o pediatra, uma vez que pode tratar-se de fungos.

    Erupções por excesso de baba

    O aparecimento dos primeiros dentes leva a que o bebé se babe muito, o que lhe pode provocar irritação na face, na pele à volta da boca e até no queixo e pescoço se estas zonas não forem protegidas.

    Por forma a evitar estas irritações da pele deve procurar manter a boca do bebé sempre seca, usar babete que proteja a pele do pescoço e colocar uma fralda ou toalha debaixo do lençol, por forma a absorverem o excesso de humidade.

    Estas erupções tratam-se facilmente com a aplicação de um creme hidratante várias vezes ao dia.

    Hemangiomas

    São tumores vasculares benignos que podem ser superficiais, profundos ou mistos. Apresentam uma cor avermelhada forte ou violeta e formam-se em qualquer zona do corpo.

    Afectam cerca de dois ou três por cento dos recém-nascidos até um ano de vida, altura em que podem acabar, lentamente, por desaparecer. Os bebés mais propensos ao hemangioma são os que nascem com um peso inferior a 1.500 gramas.

    Impétigo

    Começa por se manifestar com um pontinho ou borbulha, na pele, que provoca comichão. Ao coçar, o bebé acaba por espalhar a infecção para outras zonas do corpo, sendo certo que o contágio entre as crianças é muito frequente.

    O impétigo consiste numa inflamação e infecção da pele provocada pelo aparecimento de vesículas isoladas ou aglomeradas, em cujo interior se encontra pus, que é coberto por uma crosta amarelada.

    Para combater este tipo de infecção, provocada por uma bactéria, são recomendáveis os banhos com antisépticos adstringentes que eliminem a crosta, aplicando-se posteriormente pomada com antibiótico. Algumas vezes pode tornar-se necessário medicar o bebé com antibiótico via oral. Esta é uma situação que também necessita a visita e a prescrição do pediatra.

    Manchas

    A maior parte das manchas da pele têm tratamento. Podem ser apagadas ou dissimuladas e as mais comuns são:

    As malformações vasculares. Devem-se a um aumento de vasos sanguíneos na pele e podem ser capilares, venosos ou arteriais. Embora os bebés nasçam com elas, até à segunda semana não costumam notar-se. Apresentam um tom avermelhado ou cor de salmão e surgem na face, nas pálpebras, no nariz, nas maçãs do rosto, no lábio superior e no queixo. Podem ser esbatidas ou eliminadas através de laser.

    Manchas castanhas parecidas com sinais. Normalmente repartem-se por qualquer zona do corpo e são muito claras, superficiais e benignas. Podem ser também tratadas com laser.

    No caso do bebé ter mais de cinco manchas e o seu tamanho ultrapassar os três centímetros, convém que o especialista investigue a possibilidade de existir uma alteração neurológica associada.

    Mongólica. É uma mancha que desaparece sem tratamento e, como o próprio nome indica, é muito comum na região da Mongólia, em alguns países africanos e da América Central, em que é frequente os bebés nascerem com uma mancha de cor azulada na região lombar ou glútea.

    Sinais

    Esta é uma mancha comum que deriva do excesso de pigmentação em áreas concretas da pele. Apresentam-se com cor castanha escura, com bordos bem delimitados e com diferentes tamanhos e não desaparecem ou desvanecem, embora possam ser retirados através de cirurgia. Devem apenas ser vigiados. Se não mudam de tamanho nem de cor, em regra, não há problema.

    Deve porém ter-se em atenção os sinais de cor negra ou muito escuros, com forma irregular e com um diâmetro superior a 5 mm. Este tipo de sinais devem ser alvo de atenção constante, reparando se sofrem qualquer aumento ou modificação. Este tipo de sinais verifica-se especialmente nos adultos.
      Os comentários estão desactivados.

    Artigos Recentes

    Collapse

    • Incontinência Urinária
      por TENA
      Sabia que a gravidez e o parto natural são as principais causas de incontinência urinária feminina?

      Esta semana é dedicada à sensibilização para o tema, com o seu assinalar específico a 14 de março, um pouco por todo o mundo. Por aqui, a...
      12-03-2012, 13:27
    • Crianças, Verão e... SOS Escaldão!
      por admin
      O Verão está a chegar e, com ele, os grandes dias de Sol e praia, actividades ao ar livre e muita liberdade... Ou seja, é tempo de redobrar os cuidados com as crianças!
      Acabam as preocupações inerentes ao Inverno e à época escolar, começam out...
      10-06-2011, 09:09
    • Assadura da fralda: Como tratar as assaduras do bebé?
      por admin
      Uma das lesões mais comuns nos bebés e crianças pequenas é a assadura ou dermatite da fralda. (Saiba como prevenir e tratar a assadura do bebé.


      Quais os sintomas? A assadura consiste numa irritação na pele causada pelo contacto com a...
      17-04-2011, 19:56
    • Apneia do sono da criança
      por Equipa Editorial PinkBlue


      Todo o sono, na criança como no adulto, é normalmente entrecortado por períodos em que a respiração pára. Chamam-se a esses períodos, de apneia. É uma situação perfeitamente normal, quando não dura mais de 15 segundos por episódio. Por...
      05-02-2007, 01:00
    • Icterícia neonatal
      por Equipa Editorial PinkBlue
      Icterícia é uma situação habitual no recém-nascido e normalmente não é motivo de preocupação. A palavra icterícia provém do grego ikteros, através do latim icteritia, vocábulo utilizado para designar o tom amarelado da “branca do olho” e da pele de muitos...
      05-05-2006, 00:00
    • Cuidados com o recém-nascido a realizar fototerapia
      por Equipa Editorial PinkBlue


      A icterícia nos recém-nascidos é muito comum. Na maioria dos casos é uma situação normal, inocente, por um curto período de tempo.

      Quando o tratamento é necessário por bilirrubina elevada no sangue, a fototerapia é segura e...
      05-05-2006, 00:00
    Working...
    X