Comunicação

Collapse
No announcement yet.

Meningite

Collapse
X
Collapse

  • Meningite

    Meningite é uma infecção aguda ou crónica das meninges, (meninges são as membranas que envolvem o sistema nervoso central) e do líquido cerebro-espinal. As meningites podem ser provocadas por bactérias, vírus ou ainda por outros microrganismos. As meningites mais comuns são as causadas por bactérias e por vírus e a maioria são meningites agudas.

    Sinais e sintomas

    As meningites agudas começam bruscamente, com intensas dores de cabeça (se for uma criança mais velha saberá queixar-se, se for um bebé as suas queixas podem ser traduzidas só pelo choro agudo e muito intenso), grande irritabilidade, vómitos, rigidez do pescoço e febre. A rigidez do pescoço comprova-se ao tentar dobrar a cabeça do doente para a frente, fazendo com que o queixo toque no peito. Verifica-se que o doente não consegue fazê-lo, queixando-se de dor. Às vezes os doentes queixam-se também das costas tendo dificuldade em dobrar a “espinha” pelo que dobram os joelhos.

    Os sintomas nos bebés muito pequenos, sobretudo nos recém-nascidos podem ser mais atípicos. Podem estar com uma meningite sem que apresentem rigidez da nuca (meningite com nuca mole) sendo esta uma excepção. Aquele sinal pode pois faltar nalguns casos.

    Num bebé com meningite e que ainda tem a fontanela aberta esta apresenta-se, regra geral, elevada e tensa.

    Os bebés podem apresentar grande irritabilidade, choro intenso, recusa da alimentação e febre com convulsões.

    Existem dois outros sinais muito importantes, em caso de meningite, mas que, contudo, nem sempre estão presentes. São a prostração (semelhante um estado de sonolência) e o aparecimento de pequenas manchas vermelhas dispersas pelo corpo. Umas vezes assemelham-se a picadas de pulga, outras, são um pouco maiores e têm aspecto de pequenas hemorragias cutâneas. Quando aparecem têm cor vermelho escuro ou cor de vinho ou purpúrica. Estão presentes nas formas graves ou muito graves de meningite, sobretudo das que são produzidas por determinadas bactérias.

    O diagnóstico de uma meningite é sempre considerado uma urgência médica. No entanto, mesmo para o médico, nem sempre o diagnóstico se torna fácil de fazer, especialmente quando a doença está muito no início ou o doente tem os sintomas mascarados pela tomada recente de antibióticos.

    Causas da meningite

    As causas mais frequentes de meningites são bactérias e vírus. Contudo, fungos e parasitas podem, igualmente, ser agentes causadores de meningites.

    A bactéria que mais frequentemente causa meningite chama-se meningococos. Mas além deste agente existem outros. No recém-nascido a infecção das meninges pode ser causada por bactérias que adquiriu da mãe, como a Echerichia coli ou a Listeria monocitogenes. Estas bactérias podem dar uma septicemia (septicemia- multiplicação das bactérias no sangue) seguida ou não duma meningite.

    Destas bactérias, umas atingem mais os recém-nascidos, outras atingem mais os lactantes e as crianças em idade escolar. Outras atingem crianças em idade escolar, adolescentes ou até adultos.

    Os vírus causadores de meningites são muitos. Contudo, os mais habituais pertencem ao grupo dos enterovírus.

    As meningites causadas por vírus geralmente têm menor gravidade, curam mais depressa e não precisam de grandes tratamentos. Curam espontaneamente, caso não haja complicações secundárias.

    Uma criança sofrendo de uma meningite por bactérias apresenta-se, em regra, com aspecto de se encontrar bastante doente. Se estiver com uma meningite causada por vírus, o estado geral pode ser bom. Mas, só o médico deverá confirmar estes sinais e indicar o tratamento. Por isso, seja qual for a possível origem de uma meningite - bacteriana ou vírica - isto é, caso de suspeita desta doença estar presente, o médico deve ser consultado imediatamente.

    A suspeita de meningite deve ser também confirmada, com urgência, pelo laboratório que também irá dizer qual o tipo de meningite em causa. Uma meningite requer tratamento imediato com antibióticos, nomeadamente se for causada por bactérias. Os antibióticos não têm acção sobre os vírus.

    Periodo de incubação

    Não é fácil saber-se o tempo do período de incubação duma meningite . Ele é variável porque depende do agente em causa e de outros factores. Por exemplo uma meningite pode ter origem numa infecção respiratória que a criança sofreu. Mas ela evolui rapidamente em 24 horas.

    A doença

    A infecção aguda das meninges tem o nome de meningite. As causas da infecção podem ser bactérias, vírus, fungos e parasitas. As mais frequentes, contudo, são as meningites causadas por bactérias e por vírus.

    Cefaleias intensas (dores de cabeça), vómitos, febre, rigidez do pescoço, convulsões, sobretudo nas crianças mais pequenas, são sintomas de meningite. Em casos mais graves podem surgir pequenas hemorragias, cor de púrpura na pele e mucosas.

    Epidemiologia

    Muitas pessoas têm os micróbios causadores de meningites bacterianas já consigo, sem que estes lhes causem doença. Por exemplo, o meningococos, uma bactéria do aparelho respiratório, existe normalmente na garganta da população saudável, numa percentagem variável entre 5% a 20% dessa mesma população. Por razões que se não conhecem ainda bem, essa percentagem pode repentinamente subir para 30% ou mais. Nesses momentos, surgem alguns casos de meningite entre crianças, geralmente de menos de 5 anos. Podem surgir também em crianças mais velhas e até em adultos jovens. Podem surgir mesmo na forma de epidemias cada 2 ou 3 anos.

    Quanto mais juntas estiverem as crianças ou os adultos mais fácil é propagar-se a epidemia, como nos infantários, escolas, quartéis etc..

    As meningites virais poderão surgir mais frequentemente no fim da primavera.

    Contagiosidade

    As bactérias causadores de certas meningites podem estar na garganta do infectado ou de “portadores sãos” e transmitir-se pelos aerosois. Daí que no início deverá haver isolamento e tratamento com o antibiótico indicado. Ao fim de 24/48 horas o risco desaparece.

    Prevenção

    Nunca se sabe quando pode vir a surgir um surto de meningite ou uma epidemia, de modo a preveni-la.

    Podem tomar-se no entanto certas medidas, de ordem geral, que servem para evitar certos contágios entre crianças, adolescentes e mesmo entre adultos.

    O ambiente onde convivem muitas crianças (e mesmo muitos adultos ao mesmo tempo) deve ter boas condições higiénicas, isto é, deve ser limpo com frequência, ser espaçoso e arejado, evitando-se a demasiada aglomeração e o ar confinado.

    Mas, se for declarado um caso de meningite entre as crianças ou entre alguns adultos que lidam com as mesmas, devem imediatamente ser avisados os serviços sanitários, e o médico irá procurar, entre o grupo, outros possíveis casos de doença. Se houver, serão isolados dos restantes colegas. Pode, contudo, surgir apenas um caso isolado e não haver mais casos.

    O médico mandará fazer determinados exames aos “contactos” dos doentes. A estes, e aos “portadores sãos” dos mesmos micróbios serão dados antibióticos (com o objectivo de evitar a sua propagação), mesmo que estes contactos não apresentem sinais de doença. Eles poderão ter apenas o micróbio alojado na garganta, sem lhes causar doença.

    Existem algumas vacinas hoje usadas na prevenção de alguns tipos de meningites. Não para todas.

    Tratamento caseiro

    Se uma criança apresenta um ou mais sinais que faça supor que estará com meningite, não perca tempo. Avise imediatamente o médico e leve de imediato o doente ao serviço de urgência. Se teve conhecimento de que o seu filho ou filha contactou com um ou mais casos de meningite saiba que medidas estão a ser tomadas no seu infantário ou escola. Colabore também com elas e consulte imediatamente o pediatra.

    Não está indicado fazer tratamentos caseiros. Só serviriam para atrasar o tratamento ou a prevenção, e seria perigoso assim proceder.

    Tratamento profissional

    Antes de iniciar o tratamento médico quase sempre é feita uma punção lombar ao doente, para tirar líquido da medula espinal. Só o exame laboratorial deste, feito com urgência, permite saber o tipo de meningite em causa. O médico inicia imediatamente o tratamento com antibióticos, geralmente por injecção na veia. O doente ficará em repouso durante vários dias, nalguns casos mesmo semanas, dependendo da gravidade da doença.

    Quando consultar o médico

    Consulte imediatamente o médico tanto em casos de sintomas isolados como de sintomas associados, que surgem repentinamente e que possam fazer suspeitar de meningite. São eles: dores de cabeça muito intensas, rigidez do pescoço (e às vezes também das costas), fontanela tensa (nos bebés com fontanela ainda não fechada), convulsões, febre, vómitos, pintas ou manchas cor de vinho no corpo, irritabilidade da criança e choro intenso sem causa aparente. Consulte imediatamente o médico ou se for mais rápido, leve o doente a um serviço de urgência.
      Os comentários estão desactivados.

    Artigos Recentes

    Collapse

    • Incontinência Urinária
      por TENA
      Sabia que a gravidez e o parto natural são as principais causas de incontinência urinária feminina?

      Esta semana é dedicada à sensibilização para o tema, com o seu assinalar específico a 14 de março, um pouco por todo o mundo. Por aqui, a...
      12-03-2012, 13:27
    • Crianças, Verão e... SOS Escaldão!
      por admin
      O Verão está a chegar e, com ele, os grandes dias de Sol e praia, actividades ao ar livre e muita liberdade... Ou seja, é tempo de redobrar os cuidados com as crianças!
      Acabam as preocupações inerentes ao Inverno e à época escolar, começam out...
      10-06-2011, 09:09
    • Assadura da fralda: Como tratar as assaduras do bebé?
      por admin
      Uma das lesões mais comuns nos bebés e crianças pequenas é a assadura ou dermatite da fralda. (Saiba como prevenir e tratar a assadura do bebé.


      Quais os sintomas? A assadura consiste numa irritação na pele causada pelo contacto com a...
      17-04-2011, 19:56
    • Apneia do sono da criança
      por Equipa Editorial PinkBlue


      Todo o sono, na criança como no adulto, é normalmente entrecortado por períodos em que a respiração pára. Chamam-se a esses períodos, de apneia. É uma situação perfeitamente normal, quando não dura mais de 15 segundos por episódio. Por...
      05-02-2007, 01:00
    • Icterícia neonatal
      por Equipa Editorial PinkBlue
      Icterícia é uma situação habitual no recém-nascido e normalmente não é motivo de preocupação. A palavra icterícia provém do grego ikteros, através do latim icteritia, vocábulo utilizado para designar o tom amarelado da “branca do olho” e da pele de muitos...
      05-05-2006, 00:00
    • Cuidados com o recém-nascido a realizar fototerapia
      por Equipa Editorial PinkBlue


      A icterícia nos recém-nascidos é muito comum. Na maioria dos casos é uma situação normal, inocente, por um curto período de tempo.

      Quando o tratamento é necessário por bilirrubina elevada no sangue, a fototerapia é segura e...
      05-05-2006, 00:00
    Working...
    X