Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/kj1dz8ps/public_html/forum/includes/vb5/template.php(399) : eval()'d code on line 5 A introdução de novos alimentos na dieta do bebé - PinkBlue - O Forum das Mamãs e Bebés

Comunicação

Collapse
No announcement yet.

A introdução de novos alimentos na dieta do bebé

Collapse
X
Collapse
  •  

  • A introdução de novos alimentos na dieta do bebé

    A partir do sexto mês começa uma nova etapa na alimentação do bebé, caracterizada pela introdução de alimentos sólidos. Esta transição deverá proceder-se de forma gradual, experimentando devagarinho a reacção do bebé ao paladar e textura de cada alimento, antes de avançar para o próximo.
    Click image for larger version

Name:	98287777-alimentacao-colher.jpg
Views:	1
Size:	3.0 KB
ID:	3534416
    A necessidade de outros alimentos

    Os novos alimentos passam a ser necessários a partir do final do sexto mês, quando as reservas de ferro do organismo da criança diminuem, tornando-se importante suprir a falta deste e de outros nutrientes, com novos reforços.

    Isto não significa que o bebé já não precise ser amamentado. Pelo contrário, o leite materno é essencial durante o primeiro ano de vida do bebé e deve ser combinado com outros tipos de alimentos, enquanto houver essa possibilidade.

    A partir do quarto ou quinto mês de idade, poderá começar com os cereais. Mas não tenha pressa em fazê-lo, podendo até esperar que o bebé atinja os seis meses e isto porque o intestino do bebé demora a adquirir a maturidade devida. Isto porque, as moléculas, quer dos cereais, quer dos legumes funcionam como alergénos, isto é, como substâncias que levam à criação de alergia no organismo.

    Se o seu bebé não se mostra totalmente satisfeito com o peito ou com o biberão, é preferível aumentar-lhe um pouco a quantidade do leite. Muitas vezes, a introdução mais precoce de cereais e legumes, ao quarto ou quinto mês, tem mais o objectivo de, em pequenas quantidades, começar a habituar-lhe o paladar aos novos alimentos do que introduzi-los pela falta que lhe façam nessa idade.

    As papas

    Embora seja recomendável iniciar a diversificação alimentar do bebé com um creme de legumes são, geralmente, as papas de cereais sem glúten que dão início a uma alimentação variada e de maior consistência.

    As farinhas não lácteas (sem leite) ou as farinhas lácteas (que não necessitam de adição de leite) sem glúten, enriquecidas em ferro e vitaminas e de preparação instantânea constituem uma boa fonte de energia, permitindo aumentar a importância dos hidratos de carbono na alimentação do bebé.

    Durante esta fase de diversificação as papas mais aconselhadas são as papas de arroz e/ou milho. Alguns cereais, tais como o trigo, o centeio, a cevada e a aveia possuem glúten, que é uma proteína que pode causar doenças de natureza alérgica, com manifestações gastro-intestinais, pelo que não devem ser dadas muito precocemente à criança.

    As papas devem ser dadas à colher e não com o biberão, pois além da alimentação com colher possibilitar uma melhor digestão dos hidratos de carbono, permite o desenvolvimento dos mecanismos de mastigação e o aprender a engolir sem fazer sucção.

    Os sumos de fruta

    Não comece a dar sumos de fruta muito precocemente ao seu bebé. Eles são demasiado alergisantes para serem dados antes dos quatro meses. Deve começar por dá-los bem devagar, cerca de uma a duas colheres por dia, nos intervalos da amamentação, aumentando gradualmente. Aos quatro, cinco meses poderá já beber cerca de 30 ml ou um pouco mais, a menos que regurgite.

    Deve esperar três ou quatro dias antes de mudar a qualidade da fruta que dá ao bebé e nunca lhe deve dar o sumo em biberões ou chupetas, uma vez que a tetina ou o bico de borracha da chupeta são mais fáceis de sugar, o que pode fazer com que a criança rejeite o peito. Pode usar a colher e copos com bicos próprios para as crianças desta idade.

    Os sumos e as papas de fruta raladas ou passadas devem ser dadas à criança na altura do lanche. Não precisa, nem deve adicionar-lhes açúcar ou mel e devem ser sempre complementados com o leite materno.

    Comece por dar ao bebé banana, pêra e maçã, tendo sempre em conta as propriedades laxantes e obstipantes de cada qualidade de fruta, de forma a não desregular os intestinos do bebé.

    Não utilize refrigerantes, nem sumos do mercado que geralmente têm, além de conservantes, açúcares em excesso.

    A sopa e a carne

    Cerca de duas semanas depois de ter começado a dar fruta ao bebé pode, aos poucos, ir experimentando outros tipos de alimentos. Já lhe pode dar sopa, se for bem passada e carne, desde que picada na picadora. Se a carne estiver na sopa deve passá-la com varinha mágica.

    A carne é uma das principais fontes de proteínas e é também rica em ferro. Geralmente começa-se pela carne magra de vaca, continuando-se com o borrego, a vitela e o frango, adicionando-a ao puré de legumes. A carne de porco é mais difícil de digerir e dura de mastigar, por isso não a dê ao bebé antes dos dois anos.

    Pode usar a cebola, o alho e a salsa para temperar a comida do bebé, mas nunca o sal ou a pimenta.

    O peixe e o ovo

    Só após a introdução da carne, deve experimentar o peixe, por volta dos sete meses, intercalando-o com a carne e os ovos. O peixe é menos gordo que a carne, mas tem o mesmo valor proteico, por isso deve ser dado à criança, nas mesmas quantidades que a carne e adicionado ao puré de legumes. Deve procurar o peixe fresco.

    A gema de ovo é um alimento muito completo, mas deve evitar a clara que é muitas vezes a responsável por reacções alérgicas ou intolerância digestiva. A quantidade de gema a dar à criança também não pode ser exagerada e deve ser bem cozida, esmagada e misturada com o puré de legumes, sempre em alternativa à carne ou ao peixe.

    Só por volta do ano de idade é que a criança está apta a partilhar das refeições da restante família, sempre de forma adequada ás suas necessidades.

    A regra de introdução de cada um dos alimentos deve seguir aquela aplicada às frutas: um de cada vez, em porções pequenas, que devem ser ampliadas aos poucos e só quando tiver certeza de que o bebé não tem reacção a uma determinada substância é que deve passar à outra.

    Do oitavo ao nono mês a alimentação deve mudar da consistência pastosa para a semi-sólida, sempre esmagada com o garfo. Entre o nono e o décimo mês dê ao bebé frutas mais ácidas tais como o abacaxi, o kiwi e a laranja.

    O bebé vai querer manusear os alimentos e comer com as mãos. Incentive-o, dando-lhe talos de vegetais, cenoura crua, fruta aos pedaços ou bocados de pão com côdea para que ele possa mastigar. Vigie sempre a introdução destes alimentos, não vá o bebé engasgar-se.

    Os acessórios para os alimentos sólidos

    Só a partir dos quatro meses de idade é que o aparelho digestivo do seu bebé começa a estar preparado para digerir outro tipo de alimentos que não o leite e a água. Quando isso acontecer você também deve estar preparada com os utensílios necessários para satisfazer as necessidades do seu filho.
      Os comentários estão desactivados.

    Artigos Recentes

    Collapse

    Working...
    X