Quando um casal com menos de 35 anos tenta conceber há, pelo menos, um ano, sem êxito, é provável que um deles seja infértil. No entanto, só um especialista pode diagnosticar um problema de infertilidade.

O conceito de infertilidade

A infertilidade traduz-se na incapacidade do casal jovem concretizar a gravidez, embora tenha mantido relações sexuais por um período igual ou superior a um ano, sem recorrer a qualquer tipo de método contraceptivo.

Contudo, isto não significa que o casal infértil não possa vir a ter filhos. De acordo com os dados estatísticos, cerca de 50 por cento destes casais acabam por conceber, apenas precisando de um pouco mais de tempo e, na maioria dos casos, de intervenção da medicina especializada.

Pelo contrário, uma mulher ou um homem estéreis nunca terão a possibilidade de conceber, nem mesmo submetendo-se a tratamento.

Factores relacionados com a infertilidade

Em 25 por cento dos casos, a infertilidade é originada por um conjunto de múltiplos factores que, na sua maioria, podem ser conhecidos pela história clínica do casal.

A mulher pode ter um história clínica de:
  • Endometriose.
  • Doenças sexualmente transmissíveis (DST), como por exemplo a gonorreia.
  • Período menstrual irregular e doloroso.
  • Cirurgia pélvica ou abdominal.
  • Doenças crónicas, como por exemplo a diabetes, cancro ou asma.


Por sua vez, o homem poderá sofrer de:
  • Doença sexualmente transmissível.
  • Sequela de papeira, tida sobretudo depois da adolescência.
  • Testículos descaídos.
  • Doenças crónicas.


Além da história clínica, os hábitos do casal também podem ser responsáveis pela infertilidade. O tabaco, certos medicamentos - anti-depressivos e medicamentos à base de cortisona, por exemplo - e o excesso de peso são três factores que, podem estar relacionados com a infertilidade.

À mínima suspeita de um problema de infertilidade, o casal deve marcar de imediato uma consulta, de preferência, para um especialista.