Comunicação

Collapse
No announcement yet.

slot_topleaderboard_post

Collapse

O que pensar disto?!

Collapse
X
  • Filtrar
  • Tempo
  • Mostrar
Clear All
new posts

  • #31
    RE: O que pensar disto?!

    Olá chouchou, sinceramente, um filho de um homem destes, no way, desculpa lá a frontalidade. Um filho faz-se a dois, tudo bem que ele tem direito de não querer filhos atrás, mas não é a família toda que tem de dar bitates, tipo clã C. Ronaldo.

    Pensa bem antes de qualquer precipitação. beijoca,

    Comentar


    • #32
      RE: O que pensar disto?!

      Obrigada pelo apoio meninas.



      Eu não me vou precipitar. Se chegarmos a acordo muito bem, caso contrário cada um segue a sua vida e prontos.



      Ainda tinha esperança que o mr Red não tivesse aparecido este mês mas já vem a caminho. :crying:



      Assim, tenho mais tempo para pensar.


      Comentar


      • #33
        RE: O que pensar disto?!

        Chou-Chou, desculpa, mas ainda bem que não estás grávida nessa situação.



        Um filho é para viver a dois e tem a altura certa. Eu também esperei que o meu marido estivesse pronto. Sempre falámos em ter filhos, mas depois de casar ainda esperámos 3 anos para começar a tentar e não me arrependo.



        Ele tem que estar preparado! É uma mudança radical na vida de um casal. Até me arrisco a considerar que ele tem a maturidade suficiente de saber que, para já, não quer. Antes isso que te fazer a vontade e depois andar na vida que leva agora: noites em casa da mãe e vida com os amigos enquuanto tu trabalhas. Parece-me (isto é só uma opinião) que ainda vos falta alguma estabilidade. Por que carga de água é que, de vez em quando, lhe apetece ir dormir fora de casa? E ele deixa que a opinião da família interfira na vossa vida dessa forma?



        Enfim, que tudo te corra pelo melhor!

        Comentar


        • #34
          RE: O que pensar disto?!

          Obrigada pelo teu comentário Isa R 2 assim como das outras meninas.



          Este mês já não há nem vai haver um rebentinho.



          Não sei se fique alegre ou se fique triste. Adorava muito ter um filho, neste momento, mas se o namorido não quer não o posso fazer contra a sua vontade. Daí estas minhas dúvidas e incertezas.



          Os vossos conselhos são muito sábios, apesar da maioria deles serem o oposto daquilo que me apetece fazer.



          Tenho tido cuidado comigo, tomo o folicil há um mês para o caso de ele mudar de ideias e aceitar a ideia de ter um filho brevemente.



          Entro de férias no dia 8 de Setembro, vamos sair e nessa altura devo estar no período fértil. Pode ser que a praia, o sol, e a mudança de ares nos "dê" o nosso Joãozinho. Quem me dera!



          :P

          Comentar


          • #35
            RE: O que pensar disto?!

            Estou aqui vai não vai a pensar se escrevo o que penso...



            O teu namorado pode estar a ser intransigente, mas tu também estás, queres que ele a todo o custo mude de ideias. Mas tu já lhe propuseste mudar as tuas? Ele quer ter filhos, só ainda não quer já... e se calhar até pode estar a ser sensato. Um filho é uma bênção maravilhosa, mas muda muito e abala a vida de um casal. Se queres um filho acima de tudo e acima dessa relação, talvez ela não seja assim tão madura, nem de um lado nem do outro.



            Claro que sair de casa ao primeiro desafio não demonstra grande espírito de querer resolver as coisas, por isso e de acordo com o o teu último post. Mais importante do que a decisão de ter um filho é saber todo o vosso plano de vida, o que esperam dela, de que modo a querem viver. Se tudo o resto fizer sentido porque não encontrar um tempo em comum, em que ambos possam realizar-se como pais em plenitude?



            Boa Sorte e que sejas feliz
            Jane & Cia
            *
            O JoãoNasceu a 24 de Novembro de 2005__ A Clara Nasceu a 7 de Dezembro de 2008

            *
            *Madrilhada da Clara: Patims *Afilhadas da Jane & Cia mariajoam - princesa Matilde nasceu a 15 de Dezembro Patims - princesa Inês nasceu a 21 de Dezembro isabelmrjc - princesa Ana nasceu a 31 de Dezembro

            Comentar


            • #36
              RE: O que pensar disto?!

              Chou-chou (24-08-2009)Obrigada pelo apoio meninas.

              Eu não me vou precipitar. Se chegarmos a acordo muito bem, caso contrário cada um segue a sua vida e prontos.Ainda tinha esperança que o mr Red não tivesse aparecido este mês mas já vem a caminho. :crying:

              Assim, tenho mais tempo para pensar.


              Aqui a atenção do tema é concentrada no comportamento de um homem que se juntou há pouco tempo não querer ter filhos para já ignorando a ansiedade da mulher...e que vai parar às saias da mãe.



              No entanto o rapaz pode estar ansioso, nervoso com a nova etapa da relação, pode sentir saudades da familia, pode refugiar-se na familia se sente pressão. Não quero dizer que ele está correcto em não enfrentar a situação, eu não admitia que ficasse fora de casa a dormir na mãe. Lembro-me de quando casei passado uns tempos sentir saudades da casas dos meus pais e deles e o meu marido a mesma coisa que sempre viveu só com mãe.



              Um casamento precisa de uma base muito forte de algo muito coeso quando se tem um filho, porque altera muito a vida enquanto casal. Acho que alguém que diz " Se chegarmos a acordo muito bem, caso contrário cada um segue a sua vida e prontos" de uma forma tão prática, acho que deve mesmo seguir a sua vida porque só está a pensar em si própria sem querer dar.



              No entanto se não sente confiança segurança no namorido, não deve avançar para uma gravidez. e quando fizer faça com alguém que ame e queira da mesma forma.

              Comentar


              • #37
                RE: O que pensar disto?!

                Olá.

                Provavelmente não adianto nada ao que aqui já foi dito. Mas.... vou falar!

                Parece-me que há aqui situações distintas.

                A primeira é o teu relógio biológico que está a rebentar pelas costuras.A segunda é a tua relação.A terceira é o teu namorado.E a quarta é tentar ver o lado racional da situação.

                Deixa-me que te diga que te percebo perfeitamente e que passei por uma situação idêntica há uns anos. Na parte de querer ter filhos, não na parte do meu ex-marido ir a correr para a mãe dele.

                Hoje vejo que a minha ansiedade não me ajudou em nada, e não trouxe nada de bom à minha e nossa vida. Mas isso vejo eu hoje, passados uns anos e já tendo o Santiago.

                Na época, depois de uma separação em que deixei a pílula, acabei por voltar para casa, e engravidei sem programar. Infelizmente a gravidez não evoluiu. Depois dessa experiência juntos quisemos tentar outra vez, ele dizia que já estava preparado e face àquela gravidez inesperada, ficou também com o sentido de ser pai. Engravidei pouco depois, mas infelizmente correu mal outra vez, nova gravidez não evolutiva.

                Depois decidi fazer uma pausa nas tentativas, dado o sofrimento psicológico das percas, e olha acabei por me divorciar. Hoje sinto que não tinha que ser. Na altura eu tinha 27 anos e ele 33.

                Por isso sei o que é um relógio biológico a rebentar, sei que nos deixa quase cegas, de tal forma que chegamos a pensar como tu disseste aqui "quero ter um filho, seja dele ou de outro". Mas com mais calma e maturidade, pensa que um filho deve ser um plano com alguém e não uma coisa só nossa. Primeiro pelo filho e depois pelos pais. Ser mãe é difícil, e é muito importante termos um pai/homem ao nosso lado que esteja no mesmo barco, porque mesmo quando assim é há momentos muito difíceis! (mas claro, tudo compensa!)

                Depois parece haver a questão da vossa relação, que neste momento parece ter pouco de "vossa". Vivem debaixo do mesmo tecto, e mesmo assim nem sempre, não têm as mesmas prioridades nem objectivos comuns. É mau. Porque mesmo quando se tem, as relações são muito complicadas, quanto mais andando cada um para seu lado.

                Quanto ao teu namorado, talvez esteja ainda um pouco perdido, sem saber o que quer da vida. Talvez por isso fuja para a casa da mãe. E se refugie na família dele.

                Então tentando pensar racionalmente:

                Talvez devas questionar a ti mesma se é com ele que queres estar. Porque também não é bom para ti viveres a pensar "se até ao fim do mês der, é bom, senão parto para outra!". Se queres realmente construir uma vida e uma família ao lado dele, passa para a segunda parte. Estabelece com ele objectivos, prioridades e questiona-o acerca das intenções dele.

                Tem a força suficiente para lhe dares algum espaço e tempo para que se oriente e enfrente os medos dele, tais como ser pai. (Há muitos homens que morrem de medo de assumir essa responsabilidade, e contra mim falando, acho que é um bom sinal terem essa responsabilidade para quando avançarem estarem preparados!).

                E então sim têm condições, para juntos, conceberem o vosso rebento.



                Espero não te ter magoado ou ofendido com estas palavras, mas de facto quando se está de fora é mais fácil ver as coisas em perspectiva, porque não se tem o lado emocional a chamar por nós!



                Boa sorte!


                LOVE OF MY LIFE...



                Comentar


                • #38
                  RE: O que pensar disto?!

                  Jane & Cia (30-08-2010)Estou aqui vai não vai a pensar se escrevo o que penso...







                  O teu namorado pode estar a ser intransigente, mas tu também estás, queres que ele a todo o custo mude de ideias. Mas tu já lhe propuseste mudar as tuas? Ele quer ter filhos, só ainda não quer já... e se calhar até pode estar a ser sensato. Um filho é uma bênção maravilhosa, mas muda muito e abala a vida de um casal. Se queres um filho acima de tudo e acima dessa relação, talvez ela não seja assim tão madura, nem de um lado nem do outro.







                  Claro que sair de casa ao primeiro desafio não demonstra grande espírito de querer resolver as coisas, por isso e de acordo com o o teu último post. Mais importante do que a decisão de ter um filho é saber todo o vosso plano de vida, o que esperam dela, de que modo a querem viver. Se tudo o resto fizer sentido porque não encontrar um tempo em comum, em que ambos possam realizar-se como pais em plenitude?







                  Boa Sorte e que sejas feliz


                  Falei falei mas era também esta a mensagem que queria deixar!

                  Sábias palavras!
                  LOVE OF MY LIFE...



                  Comentar

                  slot_bottomleaderboard_post

                  Collapse
                  Working...
                  X