Comunicação

Collapse
No announcement yet.

slot_topleaderboard_post

Collapse

7 anos de Casamento...Tou saturada...Será o Fim??

Collapse
X
  • Filtrar
  • Tempo
  • Mostrar
Clear All
new posts

  • 7 anos de Casamento...Tou saturada...Será o Fim??

    Sinto-me... entre dois Mundos.. por aí a vaguear, faço as coisas mecânicamente... e tenho um aperto no estomâgo quando chega a hora de ir para casa! Os nossos diálogos variam entre o que queres para o jantar? e se vais hoje ao treino? já nem conversa consigo fazer, não sei como conseguir dar a volta e aguentar esta relação...o nosso filho tem 3 anos e meio, e é uma criança que nos consome...quer sempre estar a brincar com um ou com o outro... nunca temos tempo para nós! e quando tenho é para passar a ferro ou apanhar a roupa espalhada pela casa ou por roupa a lavar ou limpar a cozinha. Sim pq quando o meu marido fica a lavar a loiça eu tnh sempre de ir acabar de lavar a bancada e o chão, pq parece que faz gosto em fazer só uma parte! tlv seja para eu dizer q ele faz mal e depois acabar eu por fazer.
    Não percebo a teoria dos homens ambos trabalhamos 8 horas com a diferença de q ele chega a casa ás 4 da tarde e eu às 7. Eu levo o filho para o infantário e ele vai busca-lo ao final do dia tem aquele bocadinho da tarde para ele.
    Eu chego a casa tenho de fazer o jantar e ele dá banho ao miudo. Ele vai para o treino e eu tnh de tratar de tudo o resto, não tenho um segundinho para mim, ele chega janta mete a loiça na maquina e vai para o PC e eu continuo na lida da casa. todo o fim de semana é um tal lavar roupa passar a ferro limpar a casa arrumar a roupa fazer camas de lavado, aspirar. nunca acaba e ele lava a loiça ou poe na máquina e nem se dá ao trabalho de carregar no botão para a máquina para por a loiça a lavar. Não me parece justo!
    Nos dias que eu vou para a minha ginástica, opção que tomei para conseguir libertar-me daquela casa durante 1 hora 2 x por semana, em nada me beneficia pois o que não faço durante a minha ausência tenho de o fazer depois.
    e ainda tenho de abandonar o que estou a fazer para tentar meter o meu filho a dormir tarefa que o pai ignora que seja necessário fazer.
    Antigamente os fins de semana eram para passear-mos hoje são pura escravidão quando me desloco a um centro comercial é para comprar roupa ou ao Hipermercado para comprar comida, e resume-se a isto a minha vida.
    E depois ainda se queixa que eu não tenho vontade.... só se for mesmo de me jogar para a cama... não me dá um carinho... não conversa-mos não saimos os 2 para lado nenhum e se saímos é à pressa pq o menino ficou em casa de uma das avòs ( embora nesta parte seja eu tb culpada).
    tou farta de lhe dizer p irmos sair para irmos ao cinema beber um copo, namorar qq coisa, e .... nada!
    sinto-me cansada e se não recebo atenção carinho tb não consigo sequer conversar como poderei eu olhar para ele?


  • #2
    Olá Catarina5,
    realmente não é uma situação nada fácil. Também eu já tive problemas assim, em que todas as tarefas sobravam para mim, e ignorava todas as que eu não podia fazer por estar a tomar conta da nossa filha. Mas, falando da minha experiência pessoal, uma boa conversa pode reverter essa situação. No meu caso conversamos muito para tentar resolver tudo e chegar a um acordo. Talvez precisem de sair e conversar os dois. Diz-lhe tudo o que pensas e sentes, pergunta-lhe o que ele pensa de tudo isto, compreendam-se um ao outro. Só assim poderão caminhar na mesma direcção. Os filhos podem desgastar muito um casal, mas não implica que tenhamos de viver em função deles. Vou-te dar um exemplo meu: No sábado de manhã tinha marcado esteticista, acordei, tomei o pequeno-almoço, tratei da miuda e disse: Vou sair. Estendes a roupa que está na máquina e preparas o almoço, não te esqueças que a B. está sem fralda portanto tens que a levar à sanita. E saí. Ligou-me 5000mil vezes, para saber o que tinha que fazer, como fazer e etc... mas prefiro assim do que não sair. Pois assim, ele acaba por perceber que quer queira quer não, tem que tomar conta da miúda e das coisas da casa. A verdade é que quando cheguei tinha tudo pronto, o almoço, camas feitas, roupa estendida, etc... Mas tens que conversar com ele sobre tudo isso. Estar só no pc não faz a máquina lavar, nem a roupa ficar seca, etc...
    Espero que tudo se resolva pelo melhor...
    beijinhos
    Minha Filha, Minha Vida!

    Comentar


    • #3
      Eu acho que estás apenas cansada.
      Também tenho alturas em que ando mais cansada e ando pela casa a barafustar e a soprar para ver se "alguém" (leia-se o meu marido) se "mexe".
      Mas são só alturas...O meu dia a dia é mais ou menos esse: chegar a casa, começar a preparar o jantar, sou EU que dou banho à miúda porque habituei-a e agora ela quer sempre tomar banho comigo. Como eu gosto, não insisto para ser ele a fazê-lo...
      Enquanto tomamos banho, ele vai dando um "olhinho" no jantar e põe a mesa. São muito poucas as coisas que ele faz mas sabes porquê?? Porque eu tenho a mania que consigo fazer tudo sózinha e não preciso da ajuda de ninguém.
      Quando estou mais stressada, lá lhe peço ajuda nisto ou naquilo e ele faz.
      Também sou eu, que depois de "despachar" a cozinha, brinco com a minha filha e sou eu que a vou deitar e lhe conto a história.
      Se queres que seja sincera, se ele me dissesse: "Vai lá para o sofá, que hoje conto eu a história e deito-a", eu não queria, porque é algo que me dá imenso prazer.
      Se estás "saturada" nada melhor como fazer o que a rosazul diz. Fala com ele e diz que estás estoirada, que andas sem alegria e que precisas da ajuda dele.

      Comentar


      • #4
        Eu acho é que nos stressamos com facilidade. Se a casa está limpa (isso é essencial), quero lá saber da roupa espalhada ou das t-shirts por passar a ferro. Prefiro mil vezes deixar essas coisas por fazer, do que deixar de passar tempo de qualidade com a minha filha e o maridinho.
        Outra coisa é como nos vemos: achamos que "eles nos devem ajudar", mas não é uma ajuda, é uma colaboração, é um trabalho conjunto... "eles não nos estão a fazer favor nenhum", nem nós a eles.
        Por isso, concordo com as outras mamãs, no sentido de conseguirem um bocadinho para conversarem sobre o que sentem.
        Eu sou como a VC33, a horinha do banho, do creminho e do vestir o pijaminha, ninguém ma tira. Mas a história é o pai que lê. Depois beijinho dos dois de boa noite, e a partir das 21h30, no máximo, temos todo o tempo do mundo para nós
        Agora é óbvio que se estamos completamente estoiradas, é natural que não "tenhamos vontade"!
        Beijinhos e tentem arranjar um tempinho para conversar e namorar

        Comentar


        • #5
          olha catarina as lagrimas correram-me a fio ao ler o teu testemunho... parece escrito por mim sem tirar nem por... olha hoje entao so me apetece desaparecer... bolas... força muita força!!!
          amo-vos meus tesouros, sao a razao de viver a mama e do papa



          mimosdamama.blogspot.com

          Comentar


          • #6
            Ola Catarina,

            O teu testemunho, embora ja com alguns anitos, mexeu comigo. Por vezes não sabemos com a frequencia que estas situações existeme e acabamos por nos sentir sozinhas. Eu vivo uma situação muito identica e embora gosta dele, sinto falta da paixão e interesse que se deve sentir quando se está com alguem que se ama. Sei que com os anos o amor muda mas acho que se deve tentar agradar na mesma, pelo menos de vez em quando. Aniversário de casamento, dia dos namorados, aniversários, etc. são dias que gostava de fazer algo um bocadinho diferente e embora lho diga e lhe dê ideias daquilo que podemos fazer, não se passa nada. Depois de 6 anos de casamento cheguei definitivamente à conclusão que se quiser fazer algo, sou eu que o tenho organizar; se quizer uma prenda especifica sou eu que o tenho que comprar, pois mesmo mostarando um relogio que gostava muito, consegui comprar o errado.
            Sento-me triste e muito cansada de ser sempre eu a tomar iniciativa e pergunto-me em que isto vai dar pois sinto que qualquer conversa que tenhmos não dá em nada e por vezes so lhe quero explicar como eu me sinto... Não sei mesmo se vou conseguir aceitar isto para o resto da minha vida pois faz me roer por dentro.
            E a tua situação como vai, ha alguma alteração ou a solução foi o divorcio???
            Ultima edição por Xaneca; 10-06-2013, 09:12.

            Comentar


            • #7
              Olá,
              Também eu me revi neste testemunho há uns anos atrás…
              É curioso como os testemunhos são sempre muito parecidos! OK, há sempre casos de extremos, mas no geral, acabamos sempre por dizer que eles nos “ajudam”, mas… nunca é o suficiente!
              A verdade é que, como eu disse várias vezes ao meu ex, ambos trabalhamos, chegamos a casa mais ou menos à mesma hora (19h) e mesmo assim enquanto eu ando na correria até aterrar na cama esgotada, ele tem sempre tempo de sentar o rabo no sofá e ter tempo de qualidade com os nossos filhos…
              Depois deste testemunho de 2011, tive mais uma filha (3 no total) e divorciei-me a seguir… (15 anos de casamento)
              Cheguei à conclusão que não era assim que queria viver a minha vida! Estava completamente esgotada e a pouca energia que me restava tinha que ser concentrada nos miúdos, principalmente tendo em conta que tinha uma recém nascida.
              Claro, que depois de ele ser confrontado com a situação, mostrou que afinal conseguia ser muito mais cooperante… até ficar em casa com os 3 filhos para eu ir às compras, passou a ser capaz…surreal!
              Claro que muita gente associou esta minha decisão a uma depressão pós parto, com a aproximação dos 40, etc…
              Mas, como muitas mulheres na mesma situação, vamos sofrendo, dando sinais de desconforto, mas quando atingimos o limite, não há nada a fazer! Já não consegui voltar atrás… e para grande surpresa minha, quando finalmente consegui falar, o alívio foi imediato, tal era o limite de esgotamento em que estava.
              Falar…como todo o pessoal aconselha…não foi suficiente! Muitas foram as vezes em que falei, em que deu razão, mas não o impediu de voltar ao mesmo… caía tudo em saco roto!
              Também é verdade que nunca lhe disse, que se não mudasse me iria embora! E ele sempre achou que eu resmungava, mas ficaria para sempre…
              Isto tudo para te dizer que, mesmo não sabendo a tua realidade, a mulher por natureza quando entra na fase do casamento e filhos, tem tendência a esquecer-se de si e se calhar está na altura que te voltares a centrar em ti… em pensar um pouco no futuro e no que gostavas que fosse. Tentando corrigir ainda a tempo o que for possível, para a procura da paz e felicidade.
              Beijos
              A
              Ultima edição por Ana73; 11-06-2013, 11:24.

              Comentar

              slot_bottomleaderboard_post

              Collapse
              Working...
              X