Comunicação

Collapse
No announcement yet.

slot_topleaderboard_post

Collapse

O meu namorado...

Collapse
X
  • Filtrar
  • Tempo
  • Mostrar
Clear All
new posts

  • O meu namorado...

    Olá! Venho aqui tentar desabafar os problemas que tenho tido com o meu namorado. Á primeira vista não temos problemas nenhuns, segundo ele acha que a nossa situação é "normal". Passo a explicar. Então é assim, eu estudo à noite, mas arranjei agora trabalho porque quero a minha independencia, como qualquer pessoa quando chega a minha idade. Tenho 24. Ele tem 26 e não trabalha nem tem indicios de, nem os pais querem que ele trabalhe porque ainda não terminou o curso. Gostamos muito um do outro, somos muito cumplices etc. Mas cheguei a um ponto que quero andar para a frente com a minha vida, arranjar uma casa, ter as minhas coisas, e tudo isto queria fazer com ele claro. Mas a grande questão é como faze-lo se ele não trabalha PORQUE tem de ser constatemente o "estafeta" da familia!? Pois é, esse é o nosso problema. Ele é capaz de estar sem me ver durante 1 semana só para andar os dias inteiros a fazer recados à mãe que está em casa e aos avos que precisam constatemente de companhia, seja so para conversar ou ate para irem ao medico. Já para não falar na irmã dele que também está em casa, pois divorciou-se, e também não trabalha, e que podia perfeitamente ser ela a moça dos recados. Resumindo namoro com um filhinho da mama, que não tem objectivos nenhuns de vida, no que diz respeito a trabalho ou casamento. De facto estou muito triste com toda esta situação, pois amo-o muito mas não sei se continue a apostar nesta relação ou não!
    Preciso de opiniões.
    Obrigada!

  • #2
    Não tenho grandes conselhos a dar, a não ser que tenhas uma grande conversa com o teu namorado e o confrontes com o que ele quer da vida... se quer viver dependente dos pais para a frente ou se quer ter uma vida autónoma, com objectivos, com metas...
    Não é para te desanimar e compreendo que o ames muito, mas se ele não for capaz de "dar o salto" agora, acho que a vossa relação vai andar sempre na corda bamba...porque ele até pode arranjar trabalho, mas se os pais comandarem a vida dela, vão ter chatices em tudo (casa, dinheiro, filhos...) e não há relação que resista a tamanha falta de maturidade. No entanto, talvez só lhe falte um "empurrão" para crescer um bocadinho e podes ser tu a dar esse empurrão e mostrar-lhe que já não é um adolescente.
    Penso que há livros precisamente sobre este tipo de homens (complexo de peter pan?).
    Boa sorte!

    Comentar


    • #3
      Becas obrigado pela tua sinceridade. De facto já o confrontei varias vezes com esta situação, ele responde dizendo que não pode negar os pedidos que lhe fazem, enfim. Tenho pena que ele seja tão imaturo, porque ele como pessoa é formidavel mesmo. Já não sei o que fazer mais

      Comentar


      • #4
        olha gabriela a unica coisa que te posso dizer e que normalmente essas situaçoes so agravam com o casamento vou te dar um exemplo o meu namorado antes de vivermos juntos era incapaz de tumar decisoes ( ex: a que restaurante iamos comer, que filme iamos ver, que par de calças escolher) quando nos juntamos eu sabia que ele era assim e soube portanto desde o inicio que teria que se eu a tuma-las, portanto se ele ja e assim se ja nao consegue dizer que nao aos pais o mais provavel e que mesmo depoix de casarem isso continue assim, tu so vais ter que ver se podes ou nao suportar essa situação
        __________________________________________________ _______________________________________







        Comentar


        • #5
          Inserido Inicialmente por Gabriela90 Ver Mensagem
          De facto já o confrontei varias vezes com esta situação, ele responde dizendo que não pode negar os pedidos que lhe fazem, enfim.
          Acho que ele aqui é muito claro sobre quais são as suas prioridades.


          O Francesco Alberoni diz que amor é pôr o outro em primeiro lugar; numa relação em que ambos põem o outro em primeiro lugar, ambos estão bem "nutridos", cada um ajuda o outro a atingir os seus objectivos e cria-se uma solidariedade entre os dois que permite haver outros expedientes (ajudar avós, pais, jogar futebol, ler um livro, etc, etc). Mas não é nada disto que acontece no vosso caso, parece não haver objectivos comuns.
          É que se no namoro já é assim, no casamento em que há muito mais exigências da própria vida do casal... como é que vai ser?

          Não me pareces muito "realizada" nessa relação, não me parece que recebas tudo o que precisas (e que tens direito!), e no entanto, amas esse homem... porquê? (pergunta de retórica) O que há no vosso relacionamento que faça compensar esta "ausência" dele? Reformulando, porque amas um homem tão "ausente"?... Os homens por quem nos apaixonamos, espelham aquilo que sentimos por nós mesmas... disseram-me uma vez.

          Concordo com a Becas, deveria haver uma conversa com ele... a tua insatisfação e frustração sobre o "barco à deriva" em que estão é normal, o que não é normal é o comportamento dele (onde é que ele foi buscar essa idéia??), bem como para veres até que ponto é que ele se vê num projecto de vida contigo... então, se sente amor por ti não está desejoso de partilhar a vida contigo? Ou o que existe chega para ele?

          Não tenhas a ilusão de que o consegues mudar, eu pelo menos não creio que tenhamos esse ascendente sobre os outros, o que o pode fazer mudar é o amor por ti, a ser um sentimento forte nele. Nós mudamos (crescemos) ou com dor, ou por amor...

          Tenho consciência que fui sensivelmente tendenciosa, não consigo evitar... há sempre sofrimento depois. Mas como é que se trás a razão para as razões do coração? Nada fácil.

          Olha mãe, a lua! Está redonda e branca... podes ir lá pintá-la?

          Comentar


          • #6
            O problema é que já estou tão desgastada com esta relação, e se a terminar vou ficar pior ainda Não sei mesmo que decisão tomar. Porque o meu sonho sempre foi encontar um homem porreiro que quisesse casar comigo e ter filhos, e eu pensava que já tinha encontrado esse homem. E não sei se vou continuar a sonhar em casar e ter um homem que não seja tão dependente da familia como o meu namorado, porque já me desiludi tanto que não tenho ja esperanças nenhumas. Tenho medo que se mudar mude para pior. Tenho medo de não conseguir amar outra pessoa assim como amo o meu namorado. Mas sei que o mais certo a fazer é dizer lhe para dar um tempo a esta relação, pois ainda tenho esperança que ele acorde e apanhe um susto sei la. Mas ele vive tão no mundo dele, que é a familia, que de decerteza que não está preparado para me ouvir dizer que quero dar um tempo ou ate mesmo acabar a relação. Para ele essa questão nem se coloca, apsar de nos ja termos tido conversas infinitas sobre o meu desagrado da forma como a nossa relação tem evoluido. Vou ter mesmo de arranjar forças para tomar uma decisão. Não vai ser nada facil.
            Obrigada pelas respostas e por me aturarem

            Comentar


            • #7
              Sabes, Gabriela, tu tens 24 anos e eu já vou nos 41...o que vou dizer inevitavelmente vai soar a "conversa de cota", mas...és muito nova (mesmo!) para te pensares que qualquer pessoa que venha a seguir será pior do que a relação que tens agora...és demasiado nova para desistir de encontrar o homem que te caminhe ao lado dos teus passos, com todos os defeitos que tenha (e tê-los-á), mas que caminhe ao teu lado...com autonomia, com maturidade.
              No fundo já tens a resposta dentro de ti, só te falta (muito compreensivelmente) o impulso para fazeres o que teu coração e a tua cabeça mandam. Mas vais ter essa força...acredita!

              Comentar


              • #8
                Gabriela, uma separação é sempre dolorosa. Mas não tenhas medo de trocar o certo pelo incerto... és muito nova, ainda te estão guardadas muitas oportunidades de ser feliz. E serás uma mulher mais experiente, com a intuição mais apurada, duvido que te venhas a sentir atraida por alguém igual e muito menos pior. Com o tempo tendemos a subir a fasquia.

                Olha mãe, a lua! Está redonda e branca... podes ir lá pintá-la?

                Comentar


                • #9
                  Só tenho a agradecer a vossa atenção e tempo! Obrigada pelos conselhos! Tenho muito que reflectir sobre a minha vida. Mas tal como disse atras tenho medo do futuro.

                  Comentar


                  • #10
                    Só tenho uma coisa a dizer: mais vale só que mal acompanhada.

                    Ah, e quando menos esperamos aparece alguém melhor, sim, porque há sempre melhor.

                    Eu tive uma relação como a tua durante muitos anos e não valeu de nada, acabou por chegar ao fim pelas mãos dele e eu é que fiquei mal depois de lhe aturar tudo e mais alguma coisa. Toma uma medida agora antes que te arrependas, seja ela qual for.

                    Comentar


                    • #11
                      Gabriela ao ler o teu post lembrei-me da minha relação com o pai do meu filho. Eu com 22 anos tinha muito mais maturidade e sentido de responsabilidade que ele com 25. Fazia tudo o que a mãe mandava, não trabalhava mas também não estudava. Não tinha objectivos de vida que não passassem por fazer tudo o que a mãe precisava. Até era ela que lhe escolhia a roupa para vestir.
                      Quando fiquei grávida tive que abrir os olhos e ver que não era aquilo que queria para a minha vida. Doeu muito, chorei muito, sofri muito... afinal eu amava-o e ele ia ser sempre o pai do meu filho... mas no fundo sempre soube o que era melhor.
                      Procura a resposta dentro do teu coração, naquilo que tu és como pessoa, nos teu ideais e valores, nos teus objectivos de vida...





                      O meu atelier.

                      Comentar


                      • #12
                        Bom dia,

                        Não estava a pensar em responder a este tópico, mas como tenho uma experiência completamente oposta às restantes respostas resolvi dizer qualquer coisa.

                        Quando acabei o curso e comecei a trabalhar estava pronta para iniciar a minha 'vida adulta', o meu namorado, desde o primeiro ano de curso, por isso de 4 ou 5 anos, ainda ficou mais um tempo a estudar porque não ligava muito aos estudos, dedicava-se bastante a um desporto que praticava na altura e nem pensar em assumir responsabilidades - segundo dizia era muito novo.

                        Ao contrário dos concelhos que aqui te dão eu resolvi continuar com a relação e com a minha vida. Comprei casa sozinha (sei que hoje em dia isso não é fácil), continuei a trabalhar e esperei que ele amadurecesse. Passados 3 anos compramos casa juntos e depois casamos.

                        Estamos quase a fazer 10 anos de casados, temos 2 filhos lindos e ele trabalha bastante e é super responsável.

                        Não havia essa questão dos pais pelo meio, mas havia o desporto onde ele passava o tempo todo. Não estou a dizer que o teu namorado é como o meu marido e se lhe deres mais uns 2 anos ele vai melhorar. Só estou a dizer que temos pouca informação para dar grandes concelhos e que só tu é que podes analisar a tua relação e ver se queres esperar um tempo e apostar nela ou cortar de vez com alguém que te está a 'atrasar o passo'. Os homens são realmente mais imaturos, uns crescem mais tarde, mas realmente há alguns que nunca crescem.

                        Boa sorte para a tua decisão e espero que sejas feliz com ela.

                        Comentar


                        • #13
                          Concordo com tudo o que disseram. E tenho de sublinhar a frase da AlimG, que fala em relação ao futuro da minha relação, "se queres esperar um tempo e apostar nela ou cortar de vez com alguém que te está a 'atrasar o passo'". É o meu grande dilema de facto, esperar ou não, será que valerá a pena? Ainda não consegui encontrar uma resposta. Estou muito confusa ainda. Eu sinto realmente que ele tem me atrasado um pouco a vida por varios motivos. E a familia é sempre o problema principal. Ele não desgruda deles e vise versa. Já estou saturada de tanta dependencia e imaturidade. Parece que os pais não querem que ele seja feliz. São pessoas super esquisitas. São do genero seculo passado. Super protectores, controladores e possessivos. Tratam o meu namorado como se ele fosse uma menina. Nunca lhe deram liberdade para nada. Ele estar fora de casa depois das 21h é uma coisa impossivel, e isto é so um exemplo. Já para não falar em deixarem no dormir fora de casa, impensavel. Estão a ver o genero.

                          Comentar


                          • #14
                            es nova... estas na fase de descobrir alguem que preencha os teus sonhos, requesitos...

                            Nos , mulheres independentes, precisamos de alguem com o mm espirito q nos, do nosso lado..!!Acho q n basta tu ama-lo e vice-versa..ha q haver cedencias de ambas as partes..no entanto, vcs n estao a ficar mais novos, o tempo passa rápido, e ainda mais para nos mulheres! Se queres mesmo viver essa vida, tens de ter alguem do teu lado q lute pelo mesmo que tu..

                            O meu namorado, estivemos juntos durante 2 anos e eu n conhecia a familia dele, e ele conhecia a minha. Eu estava numa relaçao a serio, queria morar, casar e ter filhos c ele..e fazia questao de o dizer..

                            ele de vez em qd tb la dava a entender q queria isso.. no entanto, ele vivia c os pais, n me apresentava a n ser q fossemos morar juntos ou q eu engravidasse ou que fosse pra casar..enfim!! Tivemos muitas tripes por causa disso, uma delas ate, estivemos 1 mes separados, porque eu fartei-me da situaçao!

                            Eu achava q ele era imaturo e n me daria segurança, e q provavelmente n estaria preparado para uma vida a dois, a serioo.. Ironia do destino, durante o tempo q estivemos separados(julho de 2009), voltámos a ficar juntos em agosto do mesmo ano e...descobri q estava grávida!! Enfim..um filme q nem vos conto..resultado: tive de conhecer os pais(q me aceitaram imensamente bem graças a Deus), fomos morar juntos e hoje, ano e meio depois e dps d termos um filho maravilhoso, ele é um pai de familia exemplar

                            Tudo isto pra te dizer que: tens MESMO de o encostar à parede pq, ou ele ganha to***es toma as rédeas da vida dele, ou tu terás de lhe "dar"um susto.. pode ser q consigas q ele comece a caminhar contigo, com o mm objectivo q tu

                            So n desistas NUNCA daquilo q es e queres, por homem algum
                            Sócia nº 104 Mães OMS

                            [/url]
                            Vá, dá uma espreitadela às Dylicias e na cozinha

                            Comentar


                            • #15
                              Dytocas obrigada, o teu exemplo deu me um pouco de animo e esperança. De facto não quero ainda desistir dele, de nós. Acredito que podemos ter um futuro. Mas o que eu tenho medo é da familia dele, não sei como vai ser quando decidirmos morar juntos. Tenho receio que me passem a controlar também, porque uma pessoa ouve tantas histórias de sogras e etc. que tenho medo de como vai ser a minha vida quando pertencer oficialmente à familia dele. O meu sonho é ser feliz, ser feliz com o homem que eu amo sem ninguem a chatear-nos pelo meio.

                              Comentar

                              slot_bottomleaderboard_post

                              Collapse
                              Working...
                              X