Comunicação

Collapse
No announcement yet.

slot_topleaderboard_post

Collapse

Fiz uma IVG e arrependo-me profundamente...

Collapse
X
  • Filtrar
  • Tempo
  • Mostrar
Clear All
new posts

  • Fiz uma IVG e arrependo-me profundamente...

    Um divórcio recente. Uma noite irresponsável com quem mantenho um relacionamento maravilhoso mas recente, uma gravidez inesperada…
    As razões para a IVG foram essas, uma relação recente (apesar de maravilhosa), uma gravidez inesperada, situação pessoal instável (ainda resido em casa da minha irmã até encontrar um espaço para mim) e tantas outras, que hoje vejo que foram apenas desculpas!
    Fiz a IVG no dia 10 terça – feira, optámos pela clínica dos Arcos em Lisboa pois o R não queria que eu fosse para um hospital público, ele esteve comigo desde do primeiro instante e nunca me “abandonou” ou pressionou para o que quer que fosse.
    A IVG foi feita sobre anestesia geral, fui bem atendida e após acordar senti apenas algumas dores semelhantes às dores menstruais, não tenho perdas de sangue mas desde ontem que sinto tensão mamária, tenho os seios muito inchados e praticamente em” pedra”, amanhã vou ao médico para ser observada.
    A dor emocional, essa sim é esmagadora, posso dizer que nos arrependemos desde do momento em que acordei. Desde terça que sinto um constante aperto no peito, e um nó no estomago. Não consigo dormir nem comer e passo os dias a pensar no meu bebé… Ontem não aguentei e pesquisei na net como é feita a IVG por aspiração, queria ver e saber o que tinham feito (o que nós tínhamos decidido) fazer ao nosso bebé, e agora essa imagem não me sai da cabeça.
    Matei o meu bebé! É só nisso que penso. E matei porque me/nos era conveniente, porque era mais fácil assim… Não sei como ultrapassar esta dor e nem sei se mereço ultrapassa-la. O R sente-se da mesma forma mas ainda tentar apoiar-me o melhor que sabe, mas sinto que não mereço apoio, sinto que mereço sofrer porque o meu bebé sofreu e por muito que me doa nunca vai ser o mesmo que ele sofreu.
    Não sei o que fazer… Não sei…
    Bjs
    Não esperes nunca de mim que eu seja fiel a qualidades que não tenho. O que podes é contar com as que tenho, porque nessas não te falharei nunca!

  • #2
    Nem sei o que dizer.

    É uma situação complicada mas como sabes não tinhas estabilidade nem condições económicas para ter esse bebé. Deve ser duro mas não te castigues mais por isso.

    Deixo te aqui um beijinho de amizade e compreensão.

    Comentar


    • #3
      ola........imagino que deves estar com a cabeça a mil......mas na altura era o melhor para voçes.não te culpes,tanto.bjinho

      Comentar


      • #4
        Olá,

        Nunca passei por isso, não imagino sequer o que estás a passar, mas pela tua forma de escrever imagino o teu sofrimento...
        Só te desejo que consigas ultrapassar toda esta situação, acho que o tempo ajuda, e não te tortures mais. Desculpa não poder ajudar, só te queria deixar uma palavra de força...

        Um beijinho e coragem



        O meu Bugs Bunny nasceu dia 22 de Agosto de 2009, às 23h52, com 4,300 Kg e 51,5 cm.

        Comentar


        • #5
          Hoje fui ao hospital por causa das dores e tensão mamária. A médica observou-me e conclui-o que a tensão mamária se deve à subida do leite...
          Fez a eco e constatou que existem ainda "bocados" por sair. Marcou-me uma ida ao hospital terça-feira para uma eco de controlo, se ainda não tiverem saído terei que fazer uma raspagem (penso que é o termo).
          Não sei o que sinto por saber que ainda tenho partes do meu bebé dentro de mim... Nos meus seios tenho o leite que seria para o alimentar...
          Pensei que este pesadelo já tinha terminado e parece que não...
          O R esteve ontem comigo até tarde, ele pede-me que fale com ele mas o que à para dizer?! Eu matei o meu bebé! Além disso não existe mais nada para dizer... Não me quero afastar dele mas acho e sinto que não mereço o amor que ele sente por mim.
          Hoje morri de vergonha quando fui ao hospital, penso que as pessoas sabem o que fiz e só me apetece fugir para casa e fechar-me...
          Ultima edição por Miss Sunshine; 15-07-2012, 16:28.
          Não esperes nunca de mim que eu seja fiel a qualidades que não tenho. O que podes é contar com as que tenho, porque nessas não te falharei nunca!

          Comentar


          • #6
            Olá!

            Seguramente que tua decisao foi pensada e ponderada e o que sofres agora nao elimina as razoes que antes achaste validas e suficientes. Mesmo que agora penses de outra forma a vida nao anda para traz por isso nao te resta outra alternativa senao fazer as pazes contigo propria e seguir em frente. E claro que mereces todo o carinho que te possam dar.

            Aconselho vivamente que procures apoio psicologico. A tua realidade recente deixa-te mais debil e o que acabas de viver nao será pera doce para ninguem. A isso junta-lhe as mudanças hormonais que estaras a viver e tens ai terreno fertil para um depressao. Mesmo que nao acredites que adiante, mesmo que achas que mereces sofrer, por favor procura ajuda. Essa dor vais ter de a viver e passar-lhe por cima. E permites que a ela se possa associar uma doença que deixe outras sequelas pela vida fora.

            Beijinhos
            Rute

            O meu parto de 14 dias
            Bebes e Mamas marcianas de 2008
            Foram 25 meses, 2 semanas e 4 dias de maminha com muito amor (mamou a ultima vez a 22 de Abril 2010). CIA congénita, encerrada por cateterismo aos 4 anos e 5 meses.
            CIA congénita... Um operado, outro à espera que feche...

            Comentar


            • #7
              Ler-te deixou-me um aperto no coração e os olhos vidrados. Deve ser uma dor tão grande a que sentes... Tiveste as tuas razões para a decisão, procura falar com um psicólogo para, pelo menos, aliviares um pouco. Acredito que com o tempo essa angustia vai atenuar.

              Comentar


              • #8
                Miss sunshine, nunca é uma decisão fácil...
                Como já foi sugerido, tenta obter acompanhamento psicológico. No público têm. É óbvio que esse sentimento de culpa existe sempre, não há como tapar o sol com a peneira, mas se foi uma decisão pensada, agora é tentar emocionalmente lidar da melhor maneira com o que está para trás, e com as cicatrizes que ficam. Esquecer nunca esqueces, simplesmente aprendes a aceitar que foi a decisão que considerarm correcta para vós nessa altura da tua vida.

                O tempo ajuda, mas nesta altura convinha teres algum apoio para te ajudar na fase de aceitação.

                Infelizmente na vida há opções duríssimas que temos que fazer. E só nós podemos lidar com essas opções e aprender a viver com elas.

                Não vejas mais coisas na net por favor...

                E não digas que não sabes se mereces ultrapassar essa dor. Todos merecemos aprender a ultrapassar as nossas dores, somos seres humanos, temos esse direito. Nao te afastes do teu companheiro, tentem juntos ultrapassar isso. A decisão foi conjunta, não há ninguém a culpar. Se existe amor tudo se ultrapassa. Não te isoles...

                Força e pensa que dias bem melhores virão. Abraço apertadinho...

                Comentar


                • #9
                  Olá!
                  As palavras da Rute dizem tudo!
                  Peço-te que não te isoles, tenta procurar apoio em alguém que confies muito.
                  É muito duro, sei do que falo perdi 3 filhos, antes de nascerem as minhas meninas, foi diferente porque não tive escolha, o destino assim o quis, ainda lembro esses dias, a dor parece que nos rasga por dentro.
                  Mas não te culpes mais, nada vai mudar aquilo que foi feito.
                  Mt força e tenta sossegar o teu coração.

                  Comentar


                  • #10
                    Olá...
                    Sei tão bem o que sentes...
                    Não depois de um divorcio, antes dele...e com duas filhas uma de 2 anos e outra de 7 meses...também eu optei pelo caminho mais facil...
                    Fiz todas as consultas, todo o processo passei por ele sozinha. O pai das minhas filhas era camionista no internacional e por isso não esteve presente. E ele era contra...não queria que abortasse e apesar de saber que era impossivel para mim criar 3 bebes continuava a achar que eu devia ter o bebe.
                    Fiz o que a minha cabeça e o meu coração mandaram...tinha de protejer as minhas meninas. Logo depois veio o arrependimento...o vazio...a incertesa de ter agido como devia ser...senti me um monstro. Poucos meses depois separamo nos...veio a mostrar se um pai distante e pouco interessado nas filhas... senti que tinha feito a coisa certa, não deveria por outra criança no mundo fruto de um relacionamento acabado.

                    Passaram 4 anos e com um relacionamento 5 estrelas e um "pai" para as minhas filhas a meu lado decidimos ter um filho. O meu coração dizia me que Deus me enviaria agora aquele que não pode receber á anos atrás. Ás 10 semanas o coração do meu bebé parou de bater...passei por momentos horriveis para o expulsar do meu corpo... O sentimento de culpa invadiu me a alma...tudo culpa minha...matei um filho...porque me acharia digna de ter outro? Foi exatamente á 2 semanas que soube que o meu fllho estava morto...11 dias que ele saiu do meu corpo...

                    E neste pouco tempo que passou aprendi que tudo tem o seu tempo...tenho um homem maravilhoso a meu lado e uma vida pela frente...havemos de conseguir realizar o nosso sonho e tambem ele tera um filho de sangue(as minhas são filhas do coração). Pareces ter alguem especial a teu lado, não deites tudo a perder por causa destas pedras no teu caminho. Aconteceu e está feito, agora é seguir em frente...o teu filho é um anjo e um dia quando for a altura certa ele há-de descer para os teus braços...assim como o meu.

                    Não foste tu que o matou...nem a naturesa...foi a vida que não o deixou nascer...não são "escolhas"...são saídas que encontramos na vida, porque ás vezes é preciso alguma frieza para conseguir sobreviver.

                    Um beijo daqui até á lua...onde estão os nossos filhos...
                    Marta
                    Aborto retido 10 semanas 06/07/2012
                    Aborto retido 5 semanas-11/08/2012



                    Comentar


                    • #11
                      Inserido Inicialmente por bonequinha Ver Mensagem
                      Olá...
                      Sei tão bem o que sentes...
                      Não depois de um divorcio, antes dele...e com duas filhas uma de 2 anos e outra de 7 meses...também eu optei pelo caminho mais facil...
                      Fiz todas as consultas, todo o processo passei por ele sozinha. O pai das minhas filhas era camionista no internacional e por isso não esteve presente. E ele era contra...não queria que abortasse e apesar de saber que era impossivel para mim criar 3 bebes continuava a achar que eu devia ter o bebe.
                      Fiz o que a minha cabeça e o meu coração mandaram...tinha de protejer as minhas meninas. Logo depois veio o arrependimento...o vazio...a incertesa de ter agido como devia ser...senti me um monstro. Poucos meses depois separamo nos...veio a mostrar se um pai distante e pouco interessado nas filhas... senti que tinha feito a coisa certa, não deveria por outra criança no mundo fruto de um relacionamento acabado.

                      Passaram 4 anos e com um relacionamento 5 estrelas e um "pai" para as minhas filhas a meu lado decidimos ter um filho. O meu coração dizia me que Deus me enviaria agora aquele que não pode receber á anos atrás. Ás 10 semanas o coração do meu bebé parou de bater...passei por momentos horriveis para o expulsar do meu corpo... O sentimento de culpa invadiu me a alma...tudo culpa minha...matei um filho...porque me acharia digna de ter outro? Foi exatamente á 2 semanas que soube que o meu fllho estava morto...11 dias que ele saiu do meu corpo...

                      E neste pouco tempo que passou aprendi que tudo tem o seu tempo...tenho um homem maravilhoso a meu lado e uma vida pela frente...havemos de conseguir realizar o nosso sonho e tambem ele tera um filho de sangue(as minhas são filhas do coração). Pareces ter alguem especial a teu lado, não deites tudo a perder por causa destas pedras no teu caminho. Aconteceu e está feito, agora é seguir em frente...o teu filho é um anjo e um dia quando for a altura certa ele há-de descer para os teus braços...assim como o meu.

                      Não foste tu que o matou...nem a naturesa...foi a vida que não o deixou nascer...não são "escolhas"...são saídas que encontramos na vida, porque ás vezes é preciso alguma frieza para conseguir sobreviver.

                      Um beijo daqui até á lua...onde estão os nossos filhos...

                      Obrigada Marta, aliás obrigada a todas!

                      Ontem fiquei internada no hospital para expulsar o que não saiu naturalmente. Colocaram 4 comprimidos às 12:30h e por volta das 16:30h mais 4, depois tive alta com encaminhamento para as consultas de psicologia.
                      O R esteve comigo o tempo todo, como tem estado sempre, não foram horas fáceis... Foram péssimas não teria aguentado sem ajuda do R.
                      Falámos e decidimos ir ambos as consultas de psicologia... Acho que nos vai ajudar e quem sabe tornar mais fáceis de suportar estes sentimentos e pensamentos, por vezes sinto-me sufocar com a dor da perda.
                      Ainda estou de baixa porque não consigo ir trabalhar, tenho ficado em casa do R, e levado muitos mimos e carinho da filhota dele que é um amor! Tinha medo de me afastar dele mas começo a compreender que tudo isto, todo o respeito, carinho e dignidade com que ele me trata me fez amá-lo ainda mais...
                      Espero que o que fiz não o faça odiar-me, espero que apesar de tudo seja merecedora do carinho e respeito que ele tem por mim…
                      Tenho conseguido alimentar-me melhor porque fazemos as refeições juntos (os três) e por isso tenho mesmo que comer, como me alimento fisicamente acabo por me sentir um pouco melhor.
                      Acho que psicologicamente e emocionalmente virá com o tempo. Ontem perguntei ao R “Achas que algum dia nos vamos perdoar?” silêncio… “- Eu acho que não. Vou estar sempre a pensar como seria o nosso filho/a.” Ele abraçou-me e adormecemos assim como medo da incerteza do futuro e das respostas às nossas perguntas…
                      Beijinhos
                      Não esperes nunca de mim que eu seja fiel a qualidades que não tenho. O que podes é contar com as que tenho, porque nessas não te falharei nunca!

                      Comentar


                      • #12
                        Ola!

                        Tens de ir por partes...factor fisico parece estar a ser ultrapassado...agora vem o resto.
                        Não se trata de perdoar...trata se de aceitar. Como já te disse foi a vida que te tirou este filho, não o poderes ter agora não quer dizer que nunca o tenhas. Pensa que um dia quando tudo melhorar ele virá novamente para os teus braços. Seria tão pior se o fizesses com frieza...é importante amar esse bebé mesmo que não o possas ter tido. Esses laços que criaram vieram fortalecervos...por isso aproveitem, não fiques a pensar o que teria sido, tudo tem o seu tempo...e um dia vais poder ter esse bebé. Pensar a logo prazo ajuda a ultrapassar esses momentos. Olha para mim...já tive no teu lugar...agora estou a tentar ter esse filho que um dia a vida não me deixar segurar nos braços. Para tudo isto é preciso coragem, o sofrimento por que estás a passar é igual ao que tive quando o fiz e exatamente igual ao que agora senti quando o coração do bebé deixou de bater...Ser mãe é tudo isto....mesmo quando as decisões são dificeis e quando temos de os culpar a nós.

                        Beijo muito grande e votos de que esse amor ainda te traga uma linda e feliz criança...quando a vida te proprcionar a estabilidade que precisas.
                        Marta
                        Aborto retido 10 semanas 06/07/2012
                        Aborto retido 5 semanas-11/08/2012



                        Comentar


                        • #13
                          Minha grande querida! Parece-me que o que vieste aqui fazer foi gritar por SOCORRO! Penso que isso é um sinal de que precisas urgentemente de quem te escute e que te ajude nesta nova etapa da tua vida! Procura um psicologo, urgentemente! Tu precisas de te perdoar a ti propria para seguires em frente! E isso só conseguirás com a ajuda de um profissional! Faz isso por ti, porque tu, tu estás viva e mereces, repito MERECES viver em paz contigo mesma! MERECES SER FELIZ SIM! Beijo muito grande de muita força para ti! Deus é muito grande, maior do que nós imaginamos...Ele morreu na cruz para redimir os nossos pecados. Eu não acho que pecaste, nem de lonje, apenas tomaste uma decisão da qual te arrependeste. Faz o que te disse, procura ajuda e perdoa-te a ti mesma!

                          Comentar

                          slot_bottomleaderboard_post

                          Collapse
                          Working...
                          X