Comunicação

Collapse
No announcement yet.

slot_topleaderboard_post

Collapse

A culpa

Collapse
X
 
  • Filtrar
  • Tempo
  • Mostrar
Clear All
new posts

  • A culpa

    Não morro de amores pelo autor deste texto, mas achei-o simplesmente fabuloso!
    Leiam:

    "A culpa de não haver PEC 4 é do PSD e do CDS. A culpa de haver portagens nas Scuts é do PSD que viabilizou o PEC 3. A culpa do PEC 3 é do PEC 2. Que, por sua vez, tem culpa do PEC 1.

    Chegados a este, a culpa é da situação internacional. E da Grécia e da Irlanda. E antes destas culpas todas, a culpa continua a ser dos Governos PSD/CDS. Aliás, nos últimos 16 anos, a culpa é apenas dos 3 anos de governação não socialista.

    A culpa é do Presidente da República. A culpa é da Chanceler. A culpa é de Trichet. A culpa é da Madeira. A culpa é do FMI. A culpa é do euro.

    A culpa é dos mercados. Excepto do "mercado" Magalhães. A culpa é do ‘rating'. A culpa é dos especuladores que nos emprestam dinheiro. A culpa até chegou a ser das receitas extraordinárias. À falta de outra culpa, a culpa é de os Orçamentos e PEC serem obrigatórios.

    A culpa é da agricultura. A culpa é do nemátodo do pinho. A culpa é dos professores. A culpa é dos pais. A culpa é dos exames. A culpa é dos submarinos. A culpa é do TGV espanhol. A culpa é da conjuntura. A culpa é da estrutura

    A culpa é do computador que entupiu. A culpa é da ‘pen'. A culpa é do funcionário do Powerpoint. A culpa é do Director-Geral. A culpa é da errata, porque nunca há errata na culpa. A culpa é das estatísticas. Umas vezes, a culpa é do INE, outras do Eurostat, outras ainda do FMI. A culpa é de uma qualquer independente universidade. E, agora em versão pós Constâncio, a culpa também já é do Banco de Portugal. A culpa é dos jornalistas que fazem perguntas. A culpa é dos deputados que questionam. A culpa é das Comissões parlamentares que investigam. A culpa é dos que estudam os assuntos.

    A culpa é do excesso de pensionistas. A culpa é dos desempregados. A culpa é dos doentes. A culpa é dos contribuintes. A culpa é dos pobres.

    A culpa é das empresas, excepto as ungidas pelo regime. A culpa é da meteorologia. A culpa é do petróleo que sobe. A culpa é do petróleo que desce.

    A culpa é da insensibilidade. Dos outros. A culpa é da arrogância. Dos outros. A culpa é da incompreensão. Dos outros. A culpa é da vertigem do poder. Dos outros. A culpa é da demagogia. Dos outros. A culpa é do pessimismo. Dos outros.

    A culpa é do passado. A culpa é do futuro. A culpa é da verdade. A culpa é da realidade. A culpa é das notícias. A culpa é da esquerda. A culpa é da direita. A culpa é da rua. A culpa é do complexo de culpa. A culpa é da ética.

    Há sempre "novas oportunidades" para as culpas (dos outros). Imagine-se, até que, há tempos, o atraso para assistir a uma ópera, foi culpa do PM de Cabo-Verde.

    No fim, a culpa é dos eleitores, que não deram a maioria absoluta ao imaculado. A culpa é da democracia. A culpa é de Portugal. De todos. Só ele (e seus pajens) não têm culpa. Povo ingrato! Basta! Na passada quarta feira, a culpa...já foi.

    Bagão Félix

    http://economico.sapo.pt/noticias/a-culpa_114480.html
    Blog de experiências simples: Pequenos cientistas

    O meu babyblog desde 2007: http://persiana.blogs.sapo.pt/



  • #2
    Obrigada pela partilha. Gostei mesmo de ler
    2 filhotes lindos

    Comentar


    • #3
      Como é fácil escrever estes textos... uma pitadinha de cinismo, outra de ironia, um nadinha de hipocrisia e algum jeitinho para articular (ou amassar?) as palavras e já está!

      A culpa é de muitas dessas coisas que o Bagão refere, sim senhora. Mas a culpa é sobretudo nossa.

      A geração deste senhor (pós 25 de Abril) instalou o rabinho nos centros de decisão, ocupou cargos políticos, participou da elaboração de leis, acumulou e angariou tachos semelhantes para amigos e filhos e netos e afins e, agora, mantém-se impávida e serena à espera da proxima oportunidade de voltar às luzes da ribalta. Ora uns... ora outros! Nos entretantos... quem construiu uma economia estável e sustentável? Quem se preocupou em gerir convenientemente políticas sociais e dinheiros públicos? Quem é que pensou além do prazo-mandato e se preocupou com o país do futuro, 15, 20, 30 anos depois???

      A culpa nunca foi dele? Nunca foi Ministro?

      Arre... desculpa, persiana, não é pessoal mas... quando é que paramos de citar nomes que conhecemos desde que nos entendemos por gente e começámos a dar conta de telejornais??? SEMPRE OS MESMOS!!! Não há ninguém mais para mandar bitaites??? Essa gente devia ter vergonha de tanta demagogia, de tanto cinismo, de tanta e tão vergonhosa ânsia pelo poder e pelo tacho. Deve ser bom ser político, ser ministro, ser deputado. Deve fazer as pessoas sentirem-se tão imunes, tão importantes tão... petulantes. Deve ser bom, tão bom que assim que um partido dá mostras de ter o seu lugar tremido nos assentos do poder, eles agitam-se logo em discursos inflamados para ver se lá regressam...

      sim... porque os empregos-menores de professores universitários, administradores de empresas públicas e privadas, gestores e consultores disto e daquilo... hum... não chegam. Não chegam para lhes inflamar o ego.

      Eu por mim, pegava nesses anormais TODINHOS e metia-os num barco a caminho da Grécia ou da Irlanda ou do raio que os parta para irem cumprir promessas de endireitar outros países e economias, que lá ninguém os conhece e ninguém os pode acusar de taaaaaaaaaaaaaanta incompetência. Mas sabem porque ficam por cá??? Porque eleições atrás de eleições (pretensamente democráticas) o povo vai mostrando que tem fraca memória, sobretudo para nomes. Vá... lembram-se que nas ultimas votaram PS e agora se calhar é melhor votar PSD. Já não é mau...

      Estamos a bater no fundo. E a economia não é o nosso principal problema. Esse resolve-se com mais do mesmo: mais emprestimos, mais operações financeiras duvidosas, mais manipulação de ratings e endividamento... resolve-se, não, remenda-se.

      Agora... construir um país "com pés e cabeça"... isso não sei se será possível, nem para quando. O nosso principal problema é uma questão de atitude, de princípios, de inteligência, de coerência, de honestidade, de sentido cívico. Ou da falta de tudo isto.

      Comentar


      • #4
        Inserido Inicialmente por EliGee Ver Mensagem
        Como é fácil escrever estes textos... uma pitadinha de cinismo, outra de ironia, um nadinha de hipocrisia e algum jeitinho para articular (ou amassar?) as palavras e já está!

        A culpa é de muitas dessas coisas que o Bagão refere, sim senhora. Mas a culpa é sobretudo nossa.

        A geração deste senhor (pós 25 de Abril) instalou o rabinho nos centros de decisão, ocupou cargos políticos, participou da elaboração de leis, acumulou e angariou tachos semelhantes para amigos e filhos e netos e afins e, agora, mantém-se impávida e serena à espera da proxima oportunidade de voltar às luzes da ribalta. Ora uns... ora outros! Nos entretantos... quem construiu uma economia estável e sustentável? Quem se preocupou em gerir convenientemente políticas sociais e dinheiros públicos? Quem é que pensou além do prazo-mandato e se preocupou com o país do futuro, 15, 20, 30 anos depois???

        A culpa nunca foi dele? Nunca foi Ministro?

        Arre... desculpa, persiana, não é pessoal mas... quando é que paramos de citar nomes que conhecemos desde que nos entendemos por gente e começámos a dar conta de telejornais??? SEMPRE OS MESMOS!!! Não há ninguém mais para mandar bitaites??? Essa gente devia ter vergonha de tanta demagogia, de tanto cinismo, de tanta e tão vergonhosa ânsia pelo poder e pelo tacho. Deve ser bom ser político, ser ministro, ser deputado. Deve fazer as pessoas sentirem-se tão imunes, tão importantes tão... petulantes. Deve ser bom, tão bom que assim que um partido dá mostras de ter o seu lugar tremido nos assentos do poder, eles agitam-se logo em discursos inflamados para ver se lá regressam...

        sim... porque os empregos-menores de professores universitários, administradores de empresas públicas e privadas, gestores e consultores disto e daquilo... hum... não chegam. Não chegam para lhes inflamar o ego.

        Eu por mim, pegava nesses anormais TODINHOS e metia-os num barco a caminho da Grécia ou da Irlanda ou do raio que os parta para irem cumprir promessas de endireitar outros países e economias, que lá ninguém os conhece e ninguém os pode acusar de taaaaaaaaaaaaaanta incompetência. Mas sabem porque ficam por cá??? Porque eleições atrás de eleições (pretensamente democráticas) o povo vai mostrando que tem fraca memória, sobretudo para nomes. Vá... lembram-se que nas ultimas votaram PS e agora se calhar é melhor votar PSD. Já não é mau...

        Estamos a bater no fundo. E a economia não é o nosso principal problema. Esse resolve-se com mais do mesmo: mais emprestimos, mais operações financeiras duvidosas, mais manipulação de ratings e endividamento... resolve-se, não, remenda-se.

        Agora... construir um país "com pés e cabeça"... isso não sei se será possível, nem para quando. O nosso principal problema é uma questão de atitude, de princípios, de inteligência, de coerência, de honestidade, de sentido cívico. Ou da falta de tudo isto.
        Eu queria destacar aqui algumas ideias que para mim fazem absoluto sentido mas após fazer quote apercebi-me que afinal são todas!
        Nunca seria capaz de colocar por palavras o que a Eli aqui deixou mas parece que leu a minha mente. Totalmente de acordo!


        Comentar


        • #5
          Inserido Inicialmente por EliGee Ver Mensagem
          Agora... construir um país "com pés e cabeça"... isso não sei se será possível, nem para quando. O nosso principal problema é uma questão de atitude, de princípios, de inteligência, de coerência, de honestidade, de sentido cívico. Ou da falta de tudo isto.
          Ora nem mais ... enquanto a mudança não se fizer dentro de cada um de nós, fortalencendo a mudança do todo (portugueses) , vamos andar nisto ...

          Eligee a "presidenta" já

          Comentar


          • #6
            Eu gostei de ler não porque o texto seja deste ou daquele. Exprime uma mentalidade típica de Portugal. É ou não verdade?
            É claro que o autor e mais o resto dos políticos todos podem ir todos para a China, Grécia ou o que quiserem. Assim até sobravam pelo menos 230 tachos para a malta séria como eu
            2 filhotes lindos

            Comentar


            • #7
              Micaela, eu já não consigo gostar de ler nada escrito por pessoas que considero duvidosas. É só isso.

              E mesmo que não tivesse sido escrito por quem foi não teria gostado pela simples razão que este autor não acrescenta nada de novo ou de construtivo para a resolução ou analise dos problemas que o país enfrenta, antes, aproveita uma portuguesice para concluir que o culpado afinal é o Sócrates, esquecendo os 300 sócrates antes dele, esquecendo (ou fazendo esquecer), inclusivé, que ele mesmo, o próprio, já foi um desses socratezinhos de trazer por casa que arruinou este país.

              Patims, ninguém me quereria para presidenta :-) se soubesse o que acho verdadeiramente que este país merecia! lol!

              Susana, falo por mim e por muita gente, é verdade, mas irrita-me que no final vença uma maioria ofuscada pelo corre-corre do seu dia-a-dia, alheada da gravidade dos problemas; achando que a fome, as dificuldades e o desemprego são como uma espécie de doença ou acidente fatal: esperando que nunca nos toque a nós...

              Comentar


              • #8
                Sim concordo plenamente com tudo isto k foi dito ....todos somos bons " treinadores de bancada " agora k o caos está instalado..nada fizeram nem fazem para " endireitar" o país..só critica atrás de critica..mas fazer alguma coisa não ..se algo corre mal demitem-se e pronto problema resolvido para quem???
                Mas também não podemos fazer como a avestruz ..( bem enterrados até ao pescoço já estamos :há k agir,e k melhores dias virão..k os k se avezinham serão complicados para TODOS mas k haveremos de superar mais estas dificuldades ,se pensar-mos de outra maneira mais vale pôr uma corda ao pescoço e acabar de uma vez por todas,eu falo por mim, k tenho 2 filhos lindos e k farei de TUDO mas tudo para k sofram o menos possivel nesta vida..k saibam sempre k os amo e k podem contar comigo...mesmo k não possa comprar o binkedo x ou y.

                Comentar


                • #9
                  Lá está, falta consciência cívica. E digo-te mais, a ver pela forma como os paizinhos dos tempos modernos andam a educar as suas criancinhas não antevejo grande espaço para mudanças (a não ser para pior). Parece que cada vez mais se incute esse espírito de tapar os olhos às gerações futuras, na esperança que a desgraça lhes passe ao lado...


                  Comentar


                  • #10
                    Como ontem o Benfica ganhou já ninguém se lembra da crise nem do PEC nem do FMI

                    Comentar


                    • #11
                      Inserido Inicialmente por MJ*** Ver Mensagem
                      Como ontem o Benfica ganhou já ninguém se lembra da crise nem do PEC nem do FMI
                      Eu lembro. Nem sabia que havia futebol, quanto mais que o Benfica ganhou.

                      Comentar


                      • #12
                        Inserido Inicialmente por miosotis Ver Mensagem
                        Eu lembro. Nem sabia que havia futebol, quanto mais que o Benfica ganhou.
                        Devias ter visto as noticias logo pela manhã, já era só futebol

                        Comentar


                        • #13
                          Cada vez mais acho que os potíticos são todos uns chulos, que só pensam nos seus interesses e em manter ou arranjuar mais tachos para o seu rebanho.
                          Faz falta ao nosso país alguém com altruísmo para levar o país para a frente.
                          O pior é que não vejo ninguém neste momento a ser capaz disso.
                          Todos os partidos procuram o mesmo.
                          À conta do momento em que o país está, acho que os votos nas próximas eleições vão ser muito dispersos e não ser fácil formar governo, pois não serão possíveis maiorias, mesmo com 2 partidos. Os únicos que já estiveram coligados (PSD e PP), não devem conseguir maioria. Os restantes de esquerda, dificilmente se devem querer coligar. Acho que vamos ficar num impasse e quem se lixa somos nós.


                          Comentar


                          • #14
                            Essa do futebol é outra...

                            A promiscuidade entre o futebol e a política, os rios de dinheiro gastos à conta do Euro 2004 e os Estádios construídos que, como o do Leiria, por exemplo, estão inacabados e com custos de manutenção impossíveis de suportar pelo estado ou pelos clubes. E quais têm sido os dividendos desses investimentos??? Ninguém sabe... nulos, imagino eu.

                            Mais os milhares (milhões?) de dividas ao fisco, mais os benefícios fiscais aplicados durante anos... quem compreende isto?

                            E sim, papoila ... estas eleições são uma incerteza inquietante. Nem quero imaginar o que vai sair daqui...

                            Comentar


                            • #15
                              Sempre que vou a Aveiro e vejo aquele estádio a degradar-se a olhos vistos fico com uma raiva... Tanto dinheiro desperdiçado!!!
                              2 filhotes lindos

                              Comentar

                              slot_bottomleaderboard_post

                              Collapse
                              Working...
                              X