Comunicação

Collapse
No announcement yet.

Os diferentes choros do bebé

Collapse
X
Collapse

  • Os diferentes choros do bebé

    choro bebe

    O choro é inato a todos os bebés, e eles usam-no para comunicar, para exprimir as suas necessidades e os seus medos, até à altura em que começam a falar. Portanto, e para que o choro do seu bebé não seja um constante motivo de preocupação, convém que saiba distinguir os diferentes tipos de choro e as respostas adequadas.


    Os diferentes tipos de choro

    O bebé reage sempre de forma diferente perante situações distintas, e naturalmente que é fundamental que os pais compreendam estas diferenças de maneira a corresponderem da melhor forma às necessidades do bebé.

    O choro pode ter uma causa física, como dores, fome, sede, sono, etc. Mas pode também ser de origem emocional, como o medo ou até o “mimo”. O que todos os pais normalmente esperam é que a causa do choro possa ser eliminada apenas com o uso da chupeta. No entanto, são raras as vezes em que isto acontece, simplesmente porque, apesar da chupeta, a causa manteve-se. É necessário que procure saber a causa do choro, tendo sempre em mente que, enquanto bebés, as crianças não têm outra forma de se exprimirem.


    O choro de fome

    Este é provavelmente o tipo de choro mais fácil de identificar, especialmente para a mãe do bebé. Quando chora de fome, o bebé tende a acalmar-se ao ver que a sua refeição está a ser preparada, ou seja, se, por exemplo, lhe pegar ao colo e o encostar ao peito – no caso de estar a amamentar – ou se pegar no biberão e no babete, se sentar o bebé na cadeirinha, etc. Todavia, se o bebé se aperceber de que apesar de todas as manobras, não vai ser alimentado, recomeçará a chorar com muito mais intensidade.

    À medida que o bebé vai crescendo, vai aumentando também a sua necessidade e capacidade de alimentação. Pode acontecer que, imediatamente depois de lhe ter dado a mamada ou o biberão normais, o bebé recomece a chorar, como se ainda não tivesse comido. Isto costuma causar bastante preocupação, uma vez que é difícil acreditar que o bebé ainda tenha fome. Mas lembre-se de que é perfeitamente possível que o bebé chore por não estar ainda completamente saciado. Se amamenta, a quantidade de leite que tem pode já não ser suficiente para as crescentes necessidades do bebé. Se lhe dá o biberão, tem sempre a oportunidade de, na refeição seguinte, enchê-lo um pouco mais, de modo a certificar-se de que é essa a causa do choro.

    Pode ainda acontecer o bebé começar a chorar de fome antes da hora habitual da refeição. Isto pode significar que terá de aumentar um pouco a dose de alimento, para que o bebé permaneça satisfeito até à refeição seguinte.

    Por vezes também acontece que, apesar de o bebé chorar de fome, quando agarra o peito ou o biberão, larga-os e recomeça a chorar. Se isto acontecer com o seu bebé, é aconselhável que observe a proeminência e o volume do seu mamilo e verifique se o volume de leite é ainda suficiente. Se estiver a dar o biberão, verifique se o orifício da tetina está obstruído, se o leite está à temperatura adequada e se o bebé está numa posição confortável.

    Para além de tudo isto, deve sempre verificar se o bebé tem “sapinhos” na boca, ou seja, se existem umas placas brancas como de leite coagulado, que cobrem a cavidade oral do bebé. Caso estas existam, podem dificultar-lhe a sucção, o que o leva a chorar.


    O choro de sede

    Para além da fome, o bebé pode também chorar com sede, muito embora este tipo de choro seja menos frequente, já que o leite materno e os leites adaptados satisfazem, em simultâneo, as necessidade hídricas e calóricas. No entanto, se suspeitar que o bebé tem sede, pode dar-lhe algumas colherinhas de água fervida, à colher ou num biberão.

    Os bebés podem precisar de água se estiverem num ambiente demasiado quente e seco, provocado por aquecimento artificial ou se, durante o Verão, estiver muito calor e o bebé começar a ficar desidratado. As viagens de automóvel podem também contribuir para a desidratação, portanto lembre-se de dar água ao seu bebé sempre que viajar com ele. Se o bebé estiver com diarreia, é também provável que sinta sede.


    O choro de sono

    O cansaço é muitas vezes o principal responsável pelas crises prolongadas de choro. Por mais cansado que o bebé esteja, nada o impede de gritar, por vezes de forma intensa e ruidosa e outras vezes baixinho e de forma monótona, como numa lenga-lenga, acabando por adormecer, embalado no próprio choro. Isto costuma acontecer quando o bebé já ultrapassou, há muito, a hora habitual de ir dormir ou se está mais excitado do que é habitual por ter estado em ambientes muito ruidosos e movimentados.

    Quando calcula que o sono é o motivo do choro do seu bebé, tente pegar nele ao colo, cantar-lhe baixinho uma canção de embalar ou contar-lhe uma história, se ele já tiver idade para isso. Experimente andar com ele ao colo de um lado para o outro, devagarinho, ou dar um breve passeio na rua.

    Se nenhuma destas sugestões resultar, a única solução é esperar que o bebé adormeça por si só. Se não existem outras causas para o choro, o melhor será deixar que o bebé adormeça naturalmente, sem cair na rotina de o adormecer ao colo para depois o colocar no berço. Isso pode criar habituação no bebé, fazendo com que acorde e recomece a chorar logo que é colocado no berço. O ideal é que ele acabe por adormecer na sua caminha.

    choro bebe

    O choro por dores

    Quando existe a possibilidade de o bebé estar doente, a primeira coisa a fazer é medir-lhe a temperatura, pois, por muito ligeira que seja, a febre incomoda o bebé, fazendo-o chorar. Depois, terá de tentar perceber se ele tem dores e aonde.

    O motivo do choro pode, por exemplo, ser uma otite, dor de dentes ou cólicas, de diversa origem. No caso de uma otite o bebé chorará ininterruptamente e pode levar as mãos ao ouvido que lhe dói. Os pais podem confirmar se realmente se trata de uma dor de ouvidos, esperando por uma altura em que o bebé esteja mais calmo e fazendo uma ligeira pressão, na parte exterior do ouvido e aliviando a pressão logo de seguida. Este é um mal necessário e de acordo com a reacção do bebé, confirmarão se se trata, ou não, de uma dor de ouvidos.

    Se puder levar o bebé ao médico, logo que se aperceber do problema, não espere muito tempo, se não, pode tentar aliviar-lhe as dores, colocando-lhe um pano húmido e quente sobre o ouvido e, em último caso, administrando-lhe um supositório de paracetamol.

    Se o bebé chorar devido às dores provocadas pelo surgimento dos primeiros dentes, tente aliviar-lhe a dor massajando-lhe as gengivas com gel especialmente indicado para o efeito, dando-lhe <a href="http://www.pinkblue.com/centro/frames.asp?pesquisar=1&keyword=brinquedos" target="_top">brinquedos</a> adequados para esta fase do crescimento que ele possa colocar na boca e massajar onde lhe dói. Em último caso, dê-lhe um analgésico.

    As cólicas provocam um choro intenso e forte e que podem surgir acompanhadas de sinais que revelam a existência de dores abdominais. Nestes casos, enquanto chora, o bebé flecte os braços e as pernas, ao mesmo tempo que a sua face fica vermelha. As cólicas podem dever-se a gases, nos casos em que os bebés, ao mamarem, ingerem muito ar. Poderá ajudá-lo a expeli-los, dando-lhe uma suave massagem no abdómen e verificando se ele se sente melhor.

    O choro provocado por cólicas representa uma fonte de preocupações para todos aqueles que lidam com o bebé, uma vez que as suas origens nem sempre são muito claras. Na verdade, as cólicas dos bebés podem ser causadas pelo aumento das contracções intestinais, por alterações das relações mãe-filho e por alergias alimentares e pela ingestão de ar quando se alimenta.

    Para aliviar-lhe a dor, pode também experimentar colocar o bebé de bruços sobre os seus joelhos ou sobre um saco de água morna. Alguns bebés acalmam-se nestas posições enquanto outros parecem gostar mais de ser embalados ao colo.

    Se o bebé tem o abdómen dorido quando é tocado e não pára de chorar e se, a estes sinais se juntam outros como a diarreia, febre, etc, deverá, de imediato, consultar o pediatra.

    Diferente do choro causado pela cólicas, é o choro intenso que, nalguns casos, surge todos os dias, a horas fixas e durante um intervalo de tempo bastante constante e a que se chama choro periódico de cólera. As suas causas são também difíceis de determinar, mas, em regra, não são graves e desaparecem por volta do terceiro mês de idade. Verifique, no entanto se nada mais existe de anormal.

    Essencial é o seu estado de espírito. Procure manter-se calma, uma vez que o bebé pressente a ansiedade dos pais, o que transforma o problema num ciclo vicioso: o choro da criança gera um estado de irritação e ansiedade nos pais, e por sua vez, este é responsável pelo nervosismo e agitação da criança. Nestas circunstâncias nunca grite com a criança nem a movimente bruscamente.

    O amor e o carinho dos pais não tira a dor, mas fazem com que o bebé se acalme e são sempre a melhor forma de lidar com este tipo de situações.


    O choro de desconforto

    Se, por algum motivo, o bebé não se sentir confortável, é natural que chore para manifestar o seu desconforto. Se, por exemplo, tiver a fralda suja, o choro é a sua forma de chamar a atenção e mostrar que precisa ser mudado.

    O calor e o frio podem também ser motivos de desconforto, e consequentemente provocar uma crise de choro. O mesmo acontece com um ambiente ruidoso, levando o bebé a reagir, chorando de forma repetida. Em geral, as crianças pequenas não gostam de estar em sítios demasiado barulhentos, portanto o melhor será evitá-los.

    Uma vez que esteja alerta para todos os factores que podem provocar o desconforto do bebé, será mais fácil identificá-los e acalmar rapidamente o choro.


    O choro perante estranhos e o choro do mimo

    Alguns bebés não choram quando estão ao colo de alguém que não conhecem, mas outros fazem-no ruidosamente. Não se preocupe se o seu bebé chora na presença de estranhos, pois isso é perfeitamente normal. As crianças aprendem rapidamente a reconhecer as pessoas que lhes são mais chegadas e reagem – por vezes através do choro - quando aparece alguém que não faz parte do seu mundo habitual. Este choro pára logo que o bebé volte para o colo de alguém que reconheça, de preferência a mãe.

    Hoje em dia, é muito discutida a questão de saber se os pais devem acorrer ao filho todas as vezes que ele chora ou se, por vezes, o devem deixar chorar um pouco porque isso não lhe faz mal. A questão coloca-se relativamente à quantidade dos mimos e maus hábitos que uma criança pode adquirir com determinados comportamentos dos pais. Acima de tudo, a decisão é sua. Decidir se lhe vai pegar todas as vezes que o bebé chora é uma questão de bom senso que ninguém lhe poderá ensinar e que deve gerir conforme os resultados que for obtendo e a sua disponibilidade de tempo.

    Um bebé não chora se se sentir acompanhado, mesmo que não lhe peguem ao colo. É importante que ele perceba de que está rodeado de pessoas que lhe dão atenção e sentem a presença dele. Transmitir essa segurança ao seu bebé é meio caminho andado para evitar algumas “birras”.
      Os comentários estão desactivados.

    Artigos Recentes

    Collapse

    • Incontinência Urinária
      por TENA
      Sabia que a gravidez e o parto natural são as principais causas de incontinência urinária feminina?

      Esta semana é dedicada à sensibilização para o tema, com o seu assinalar específico a 14 de março, um pouco por todo o mundo. Por aqui, a...
      12-03-2012, 13:27
    • Crianças, Verão e... SOS Escaldão!
      por admin
      O Verão está a chegar e, com ele, os grandes dias de Sol e praia, actividades ao ar livre e muita liberdade... Ou seja, é tempo de redobrar os cuidados com as crianças!
      Acabam as preocupações inerentes ao Inverno e à época escolar, começam out...
      10-06-2011, 09:09
    • Assadura da fralda: Como tratar as assaduras do bebé?
      por admin
      Uma das lesões mais comuns nos bebés e crianças pequenas é a assadura ou dermatite da fralda. (Saiba como prevenir e tratar a assadura do bebé.


      Quais os sintomas? A assadura consiste numa irritação na pele causada pelo contacto com a...
      17-04-2011, 19:56
    • Apneia do sono da criança
      por Equipa Editorial PinkBlue


      Todo o sono, na criança como no adulto, é normalmente entrecortado por períodos em que a respiração pára. Chamam-se a esses períodos, de apneia. É uma situação perfeitamente normal, quando não dura mais de 15 segundos por episódio. Por...
      05-02-2007, 01:00
    • Icterícia neonatal
      por Equipa Editorial PinkBlue
      Icterícia é uma situação habitual no recém-nascido e normalmente não é motivo de preocupação. A palavra icterícia provém do grego ikteros, através do latim icteritia, vocábulo utilizado para designar o tom amarelado da “branca do olho” e da pele de muitos...
      05-05-2006, 00:00
    • Cuidados com o recém-nascido a realizar fototerapia
      por Equipa Editorial PinkBlue


      A icterícia nos recém-nascidos é muito comum. Na maioria dos casos é uma situação normal, inocente, por um curto período de tempo.

      Quando o tratamento é necessário por bilirrubina elevada no sangue, a fototerapia é segura e...
      05-05-2006, 00:00
    Working...
    X